Denúncias de crimes à porta do "inverno da sobreviência" na Ucrânia - Plataforma Media

Denúncias de crimes à porta do “inverno da sobreviência” na Ucrânia

As autoridades ucranianas dizem ter encontrado quatro locais em Kherson onde os russos “detiveram ilegalmente as pessoas e torturaram-nas brutalmente”. Mas as denúncias de alegados crimes de guerra fazem-se também do lado de Moscovo, com o Kremlin a insistir que vai punir os responsáveis pela morte “brutal” de uma dezena de soldados russos que se estariam a render aos ucranianos. Na semana passada, o Alto Comissariado das Nações Unidas para os Direitos Humanos disse que ambos os lados cometeram abusos.

De acordo com um comunicado do Gabinete do Procurador-Geral ucraniano, os russos tinham em Kherson uma rede de locais de detenção, onde foram encontrados bastões de madeira e de plástico e dispositivos usados para “torturar civis com eletricidade”. Na sua fuga da cidade, a única capital regional que tinham conquistado logo no início da guerra, há quase nove meses, os russos deixaram ainda documentos que revelam a forma como administravam os locais.

Moscovo não reagiu a esta acusação, mas insistiu na denúncia de crimes de guerra por parte dos ucranianos e em levar à justiça os responsáveis. Em causa estão vídeos que começaram a circular na semana passada – e cuja autenticidade tanto o The New York Times como a BBC confirmaram. Num deles veem-se militares russos deitados no chão, aparentemente após se terem rendido, até que um outro aparece e começa a disparar. Os ucranianos reagem e o vídeo é interrompido. Mas outro vídeo, filmado num drone, mostra que todos os russos acabam mortos, incluindo os que estavam deitados.

Leia mais em Diário de Notícias

Este artigo está disponível em: English

Related posts
Sociedade

Ucrânia acusa Rússia de raptar crianças para fins sexuais

Sociedade

Prostitutas na Ucrânia correm riscos de saúde ainda maiores após guerra

BrasilPolítica

Brasil não enviará munições para a Ucrânia e Lula diz que chegou a altura da China colocar "mão na massa"

Política

Alemanha não permitirá que guerra seja conflito entre Rússia e NATO

Assine nossa Newsletter