Estratégias discutidas face aos raptos e terrorismo em Moçambique - Plataforma Media

Estratégias discutidas face aos raptos e terrorismo em Moçambique

A Procuradoria-Geral da República (PGR) de Moçambique e o Serviço Nacional de Investigação Criminal (Sernic) realizam, a partir de hoje, uma reunião para melhorar a articulação face aos principais desafios de segurança no país, incluindo raptos e terrorismo.

“Esta iniciativa enquadra-se no desenvolvimento das ações com vista à melhoria da articulação entre os dois órgãos, em especial no domínio da investigação e instrução preparatória dos processos-crime”, refere uma nota da procuradoria-geral moçambicana.

O encontro, de três dias, vai debater os principais desafios de segurança no país, com destaque para o terrorismo, que afeta o norte de Moçambique, e os raptos, que têm estado a ocorrer nas principais capitais provinciais desde 2020.

Leia ainda: Grupo mata chefe de aldeia em Moçambique e população foge, maioria crianças

“Entre os pontos da agenda, destaque para a análise e reflexão em torno das ações desenvolvidas pelas duas instituições, desde a realização da VII Reunião Nacional e os mecanismos que devem ser implementados para prevenir e combater a criminalidade organizada, mormente os crimes de branqueamento de capitais, financiamento ao terrorismo e os raptos”, acrescenta a nota da PGR, avançando ainda que o encontro vai servir para a elaboração do plano estratégico do Sernic para os próximos cinco anos.

A província de Cabo Delgado enfrenta há cinco anos uma insurgência armada promovida por rebeldes, com alguns ataques reclamados pelo grupo extremista Estado Islâmico.

O conflito já fez um milhão de deslocados, de acordo com o Alto-Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR), e cerca de 4.000 mortes, segundo o projeto de registo de conflitos ACLED.

Após um período de relativa acalmia, as cidades moçambicanas, principalmente a capital do país, voltaram a ser assoladas desde 2020 por uma onda de raptos, visando principalmente homens de negócios ou seus familiares.

Em novembro de 2021, a Polícia da República de Moçambique lançou a formação de uma força mista para responder a este tipo de crime, um grupo de oficiais que vão ser capacitados por especialistas ruandeses durante seis meses.

*Com Lusa

Related posts
MoçambiqueSociedade

Novo assalto contra transportes públicos mata trabalhador humanitário em Cabo Delgado

MoçambiqueSociedade

Governo moçambicano destaca "progressos assinaláveis" desde chegada de forças estrangeiras

MoçambiqueSociedade

Exército moçambicano anuncia morte de suposto líder de terroristas

Sociedade

ONG exige responsabilização no caso de corpos queimados em Cabo Delgado

Assine nossa Newsletter