Chanceler alemão “muito contente” com Corredor de Energia Verde - Plataforma Media

Chanceler alemão “muito contente” com Corredor de Energia Verde

O chanceler alemão, Olaf Scholz, elogiou hoje o acordo alcançado entre os líderes de Portugal, Espanha e França para um “Corredor de Energia Verde” para as interligações energéticas entre os três países

“É um grande avanço que venha a existir um gasoduto de ligação à França a partir da Península Ibérica”, disse Scholz, no final de uma cimeira dos chefes de Governo e de Estado da União Europeia (UE), em Bruxelas.

O líder alemão disse sentir-se “muito contente” por ter sido alcançado, “depois de muitos anos” de conversações, “um bom resultado”.

António Costa, Pedro Sanchéz e Emmanuel Macron anunciaram na quinta-feira a aposta numa ligação por mar entre Barcelona e Marselha (BarMar) em detrimento de uma travessia pelos Pirenéus.

“Existe um gasoduto que vai de Portugal e Espanha a França e então a ligação com o centro da Europa será possível. Estou muito contente”, disse Olaf Scholz, que tinha dado apoio explícito ao projeto.

O calendário, as fontes de financiamento e os custos relativos à execução do corredor verde BarMar serão debatidos num novo encontro a três, agendado para 09 de dezembro, em Alicante (Espanha).

De acordo com o texto acordado entre os três países, a que a Lusa teve acesso, entretanto, os respetivos ministros da Energia – que também estiveram presentes na reunião – vão começar imediatamente o trabalho preparatório para avançar com o BarMar e também sobre o reforço das interligações elétricas entre Espanha e França, “em ligação estreita com a Comissão Europeia”.

O gasoduto marítimo foi escolhido como sendo “a opção mais direta e eficiente para ligar a Península Ibérica”, principalmente transportando hidrogénio.

Os dois primeiros-ministros ibéricos e o Presidente francês acordaram ainda na necessidade de “concluir as futuras interligações de gás renovável entre Portugal e Espanha, nomeadamente a ligação de Celorico da Beira e Zamora (CelZa)”.

As infraestruturas a criar para a distribuição de hidrogénio “deverão ser tecnicamente adaptadas para transportar outros gases renováveis, bem como uma proporção limitada de gás natural como fonte temporária e transitória de energia”.

Neste sentido, o projeto ibérico Midcat foi abandonado.

Related posts
Angola

África tem potencialidades para produção de energia limpa

Sociedade

Aos 118 anos, morreu a Irmã André, freira francesa e a pessoa mais velha do mundo

Desporto

Campeão mundial de tiro encontrado morto

Sociedade

Cinco crianças entre os dez mortos causados por incêndio em Lyon

Assine nossa Newsletter