Erdogan pede a Zelensky que procure uma solução diplomática para a guerra - Plataforma Media

Erdogan pede a Zelensky que procure uma solução diplomática para a guerra

O Presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, pediu na quarta-feira ao seu homólogo ucraniano, Volodymyr Zelensky, que mantenha viva a possibilidade de uma solução diplomática para o conflito armado provocado pela invasão russa

Erdogan ligou para o líder ucraniano por telefone para saber as últimas notícias da guerra, desencadeada em 24 de fevereiro, e reiterou a sua total disposição de fazer o que for preciso para encontrar uma solução negociada, adiantou a agência de notícias turca Anadolu.

Desde o início da guerra, Erdogan tem tentado assumir um papel de mediador entre Kiev e Moscovo, por um lado, insistindo que a soberania e a integridade territorial da Ucrânia devem ser respeitadas – incluindo as regiões do Donbass e a Crimeia –, e, por outro, mantendo boas relações com a Rússia.

Ancara não aderiu às sanções da União Europeia contra a Rússia, e Erdogan já se reuniu quatro vezes em 2022 com o seu homólogo russo, Vladimir Putin, sendo que última ocorreu na semana passada no Cazaquistão.

Mas, no entanto, o chefe de Estado turco mostra publicamente o seu apoio a Zelensky, tendo o revelado em agosto, quando viajou para Lviv, com o secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, para se encontrar com o líder ucraniano.

A ofensiva militar lançada a 24 de fevereiro pela Rússia na Ucrânia causou já a fuga de mais de 13 milhões de pessoas – mais de seis milhões de deslocados internos e mais de 7,7 milhões para países europeus -, de acordo com os mais recentes dados da ONU, que classifica esta crise de refugiados como a pior na Europa desde a Segunda Guerra Mundial (1939-1945).

A invasão russa – justificada pelo Presidente russo, Vladimir Putin, com a necessidade de “desnazificar” e desmilitarizar a Ucrânia para segurança da Rússia – foi condenada pela generalidade da comunidade internacional, que tem respondido com envio de armamento para a Ucrânia e imposição à Rússia de sanções políticas e económicas.

A ONU apresentou como confirmados desde o início da guerra 6.306 civis mortos e 9.602 feridos, sublinhando que estes números estão muito aquém dos reais.

Related posts
BrasilPolítica

“Terroristas roubaram armas usadas pelo GSI no Planalto do Brasil”

Mundo

Ucrânia exige pagamento de compensações de guerra pela Rússia, ONU apoia

Sociedade

Governo turco acusa PKK curdo por atentado que deixou seis mortos em Istambul

MundoPolítica

Zelensky denuncia "atrocidades" russas em Kherson e "mais de 400 crimes de guerra"

Assine nossa Newsletter