Modernização Socialista da China e o Desenvolvimento das Relações entre a China e os Países de Língua Portuguesa e profere discurso - Plataforma Media

Modernização Socialista da China e o Desenvolvimento das Relações entre a China e os Países de Língua Portuguesa e profere discurso

No passado dia 28 de Setembro, realizou-se na Universidade da Cidade de Macau o “Seminário Temático sobre a Modernização Socialista da China e o Desenvolvimento das Relações entre a China e os Países de Língua Portuguesa”, sob a orientação do Comissariado do Ministério dos Negócios Estrangeiros (MNE) da China na Região Administrativa Especial de Macau (RAEM) e com a presença do comissário Dr. Liu Xianfa.

O Seminário iniciou-se com o discurso de abertura do Dr. Lao Ngai Leong, presidente da Fundação da Universidade da Cidade de Macau, seguido pelo discurso de boas vindas da Dra. Kong Fanqing, vice-reitora da Universidade da Cidade de Macau. Durante o evento, os especialistas e académicos de 13 instituições e entidades académicas, provenientes do Interior da China, da RAEM e dos países como Brasil, Portugal, Angola e Alemanha, apresentaram algumas ideias, nomeadamente o Dr. António Martins da Cruz, antigo Ministro dos Negócios Estrangeiros de Portugal, o Dr. Elias Jabbour, autor do livro “China: O Socialismo do Século XXI”, e o Dr. Wang Huaichao, Antigo Subdirector de Educação e Director do Departamento de Ensino e Investigação do Socialismo Científico da Escola Central da Comissão Central do Partido Comunista da China, entre os outros.

Além destes, o Seminário contou com a presença de cerca de 80 participantes, incluindo os representantes do Governo da RAEM e das empresas em Macau, os Think Tanks de Macau, os membros dos meios de comunicação social, e os docentes e discentes das instituições de ensino superior da RAEM.

No seu discurso, o Comissário Dr. Liu Xianfa afirmou que a modernização tem sido um objetivo comum de todos os país a partir da época moderna. “O Partido Comunista da China (PCC) uniu o povo chinês, levando-o a alcançar a independência nacional e a libertação popular, e eventualmente seguindo o rumo certo à prosperidade e ao fortalecimento – o caminho da modernização socialista da China, o qual contribuiu para a concretização de dois milagres sem precedentes no mundo, sendo eles o rápido desenvolvimento económico e a estabilidade social duradoura. A modernização socialista da China é uma modernização sob a liderança do PCC, uma modernização testemunhada por uma grande população, uma modernização que contribui para a prosperidade comum de todo o povo, uma modernização que promove o desenvolvimento coordenado das civilizações material e espiritual, uma modernização em que o ser humano e a Natureza coexistem harmoniosamente, uma modernização que persiste no caminho do desenvolvimento pacífico e, por fim, uma modernização baseada no benefício recíproco e na relação ganha-ganha”.

O Comissário sublinhou ainda que, em face da proximidade da realização do 20º Congresso Nacional do Partido Comunista da China, o “PCC continuará a promover a concretização do rejuvenescimento da nação chinesa baseada na modernização socialista da China e a trabalhar num esforço conjunto com os povos de todos os países para construir uma comunidade com um futuro compartilhado para a humanidade, contribuir para o progresso da civilização da sociedade humana, e por fim, criar juntos um mundo melhor. Como ponte entre a China e os países de língua portuguesa, Macau está a aproveitar as oportunidades trazidas pela cooperação entre Guangdong, Hong Kong e Macau e pela construção da iniciativa “Uma Faixa, Uma Rota”, da Grande Baía Guangdong-Hong Kong-Macau e da Zona de Cooperação Aprofundada entre Guangdong e Macau em Hengqin, de modo a impulsionar o desenvolvimento da diversificação adequada da economia a melhor integração de Macau no desenvolvimento nacional. Nesta jornada, o papel de Macau como Plataforma entre a China e os países de língua portuguesa será expandido e aperfeiçoado, com o intuito de promover a aprendizagem mútua, o benefício recíproco e a relação ganha-ganha entre a China e os países de língua portuguesa nos respetivos processos da modernização nacional”.

Na apresentação do conteúdo principal do livro “China: O Socialismo do Século XXI”, o Dr. Elias Jabbour indicou que, a China criou no século XXI “uma nova forma económica e social, a qual respeita a Lei do Valor e persiste no socialismo, criando assim um milagre no desenvolvimento que tem merecido a atenção de todo o mundo”.

Na intervenção do Dr. António Martins da Cruz, este destacou o Fórum para a Cooperação Económica e Comercial entre a China e os Países de Língua Portuguesa (Macau), que “tem promovido a dinamização do desenvolvimento dos países de língua portuguesa, do qual, todos aprenderam muito, incluindo Portugal”. “Olhando para o futuro, Macau, como ponto de convergência de interesses entre a China e os países de língua portuguesa, irá contribuir eficazmente para a recuperação pós-epidémica dos países de língua portuguesa”, salientou.

Segundo o Dr. Francisco José Leandro, Subdiretor do Instituto para a Investigação dos Países de Língua Portuguesa da Universidade da Cidade de Macau, o Fórum de Macau “deve continuar a promover a coordenação entre diferentes entidades, encorajar o intercâmbio cultural e construir laços de amizade para todo o mundo”.

No que toca à preservação da língua e cultura portuguesas, o papel de “um país, dois sistemas” é altamente valorizado pelo Dr. Advogado Leonel Alberto Alves, Presidente da Associação do Colégio Sino-Luso Internacional de Macau, segundo o qual, “Macau deve aproveitar as vantagens trazidas pela língua portuguesa de modo a aperfeiçoar e expandir o seu papel como Plataforma entre a China e os países de língua portuguesa”.

Já o sinólogo brasileiro Dr. Giorgio Sinedino referiu que se deve “promover a cooperação duradoura e estável entre a China e o Brasil nos sectores da cultura e da educação, tomando como ponto de partida a diplomacia entre os povos”. Por sua vez o representante de Angola, Dr. João Verne Oliveira, afirma que “a cooperação ganha-ganha é o tema principal da cooperação entre a China e os países de língua portuguesa”.

O Dr. Harald Bruning, diretor do maior jornal de língua inglesa em Macau, The Macau Post Daily, assinalou que, se deve “implementar o espírito da instrução do Presidente Xi Jinping, fazer pleno uso do papel de plataforma de Macau para promover a implementação de iniciativas de desenvolvimento global e contribuir com a força de Macau para o desenvolvimento económico e progresso humano do mundo”.

Segundo o Presidente do Instituto de Estudos Europeus de Macau, Sr. José Luís de Sales Marques, Macau está na intersecção do ciclo duplo nacional e internacional, deve, por isso, “cooperar ativamente com a implantação estratégica nacional e fazer uso do seu estatuto especial e vantagens únicas, para formar um eixo estratégico do ciclo duplo”.

O advogado José Lupi, sócio e representante de Macau de King & Wood Mallesons revela que o sistema jurídico de Macau é baseado no Estado de direito e na independência do poder judicial sob o princípio “um país, dois sistemas”, e é semelhante ao dos países de língua portuguesa, o que constitui uma vantagem significativa que reforça ainda mais o papel de Macau como ponte.

O seminário caracterizou-se por um intercâmbio profundo, uma atmosfera calorosa e reações positivas. No geral, destacou-se que as novas circunstâncias exigem que Macau desempenhe plenamente o seu papel de ponte entre a China e os países de língua portuguesa, para promover a solidariedade, o desenvolvimento e a cooperação ganha-ganha entre a China os países de língua portuguesa no respetivo processo de modernização, e, por fim, construir uma comunidade com um futuro compartilhado para a humanidade!

Assine nossa Newsletter