Hong Kong acaba com quarentena obrigatória para chegada de estrangeiros - Plataforma Media

Hong Kong acaba com quarentena obrigatória para chegada de estrangeiros

A RAEHK anunciou nesta sexta-feira (23) o fim da quarentena obrigatória por covid-19 para os estrangeiros que chegam ao território, uma decisão que acaba com dois anos e meio de isolamento do centro financeiro.

“Com este dispositivo, o sistema de quarentena em um hotel será cancelado”, afirmou o chefe de Executivo, John Lee, à imprensa.

Os viajantes, no entanto, serão submetidos a um teste PCR na chegada e não poderão frequentar bares e restaurantes nos primeiros três dias, de acordo com um sistema denominado “0+3” pelas autoridades.

Leia também: Hong Kong suspende testes obrigatórios em massa para Covid-19

E os turistas ainda correm o risco de ficarem isolados em um quarto de hotel ou, na pior das hipóteses, de serem enviados para centros de quarentena, em caso de teste positivo para covid no desembarque em Hong Kong.

A suspensão das restrições, muito aguardada, vai aliviar os moradores e as empresas, que desejavam que o centro financeiro seguisse a tendência mundial e autorizasse as viagens sem restrições.

O governo enfrentava a pressão crescente dos moradores, empresários e até especialistas de saúde para acabar com a quarentena, em particular após a onda epidêmica do início do ano. Desde então, o número de infecções locais supera por ampla margem o de casos procedentes do exterior, mas as autoridades optaram por manter as regras da quarentena.

Leia também: Alibaba solicitará listagem primária na bolsa de Hong Kong

As normas, que chegaram a prever até 21 dias de isolamento em um hotel, provocaram um grande êxodo: 113.000 pessoas deixaram a cidade desde meados de 2021, de acordo com dados oficiais.

Hong Kong perde liderança

E o custo econômico foi elevado: a cidade está atualmente em recessão técnica, depois de registrar queda do PIB por dois trimestres consecutivos.

“Existe uma forte possibilidade de que Hong Kong registre um crescimento negativo do PIB este ano” advertiu nesta quinta-feira o secretário de Finanças da cidade, Paul Chan.

Leia também: Singapura ultrapassa Hong Kong como principal centro financeiro da Ásia

De acordo com um ranking mundial divulgado na quinta-feira, em que Nova York e Londres permanecem nas primeiras posições, Hong Kong perdeu o posto de maior centro financeiro da Ásia, agora ocupado por Singapura.

O aeroporto de Hong Kong já foi um dos mais ativos do mundo. Mas o número de passageiros este ano representa apenas 3,8% do nível pré-pandemia.

Após o anúncio desta sexta-feira, o site da companhia aérea Cathay Pacific recebeu muitas visitas. Mas é pouco provável que Hong Kong recupere de maneira rápida o turismo de massa.

Leia também: UE pede revogação da Lei de Segurança Nacional em Hong Kong

Nos últimos dois anos, várias companhias reduziram os voos ou desistiram de voar até a cidade. Além disso, os preços dispararam: uma passagem de Los Angeles ou Londres para Hong Kong dobrou em relação ao período anterior à pandemia.

Hong Kong aplicou uma versão mais flexível da estratégia chinesa de ‘covid zero’, que impõe confinamentos com a detecção de casos positivos e testes PCR praticamente obrigatórios a cada 48 ou 72 horas.

A China é a única grande economia do mundo que mantém um longo período de quarentena para as chegadas internacionais.

Related posts
EconomiaMacau

Zero covid: Turismo de Macau em coordenação com política nacional

ChinaEconomia

Reabertura da China só no Verão de 2023 e pode depender da situação em Hong Kong

ChinaSociedade

Autoridade chinesa é demitida por negligência e vício em videogames

Assine nossa Newsletter