Guerra faz cair para metade as exportações portuguesas para a Rússia - Plataforma Media

Guerra faz cair para metade as exportações portuguesas para a Rússia

Portugal continua a vender os seus produtos para a Rússia, embora em quantidade substancialmente inferior ao que era habitual. O mercado russo, que chegou a valer, em 2013, mais de 263 milhões de euros para as empresas portuguesas, gerou, nos primeiros cinco meses de 2022, apenas 36,7 milhões de euros, contra os 67,7 milhões de igual período em 2021. São sobretudo bens alimentares que o país continua a enviar para a região.

O efeito da guerra na Ucrânia é notório nas transações comerciais entre os dois países: nos primeiros dois meses do ano – recorde-se que a invasão ocorreu a 24 de fevereiro -, as exportações portuguesas para a Federação da Rússia estavam a crescer 5,25% para 24,7 milhões de euros. Agora, três meses passados, a quebra acumulada desde o início do ano é de 45,8%.

Entre os produtos exportados, destaque para os bens alimentares, designadamente produtos à base de cereais – flocos de milho ou outros cereais em grãos, sob a forma de flocos ou em farinha e sêmola, pré-cozidos ou preparados de outro modo -, tomate preparado ou em conserva e produtos hortícolas igualmente preparados ou conservados. No caso dos preparados de cereais, as compras totalizaram quase 381 mil euros, contra os quase 399 mil euros dos primeiros cinco meses de 2021, mas no caso dos preparados de produtos hortícolas e de frutas, as exportações nacionais até cresceram este ano: desde o início do ano que Portugal vendeu mais de 3,3 milhões de euros destes produtos à Rússia, um aumento de 10%.

Leia mais em Dinheiro Vivo

Related posts
Política

Referendos de adesão à Rússia de territórios ocupados na Ucrânia começam hoje

Política

Filho do porta-voz do Kremlin "mobilizado" para a guerra: "Vou resolver o problema noutro nível"

Política

Putin anuncia mobilização parcial de 300 mil reservas e volta a agitar ameaça nuclear

Política

Separatistas de Donetsk e Lugansk aceleram referendos à integração na Rússia

Assine nossa Newsletter