Covid-19. Macau regista recorde diário de casos, mas rejeita para já confinamento total - Plataforma Media

Covid-19. Macau regista recorde diário de casos, mas rejeita para já confinamento total

Macau anunciou hoje um recorde diário de casos de Covid-19, mas as autoridades de saúde rejeitaram para já a hipótese de se avançar para um confinamento total da cidade.

O território detetou mais 146 casos na terça-feira e 81 até às 16:00 de hoje (09:00 em Lisboa), com o número de infetados do atual surto de Covid-19 a subir para 1.168, no momento em que os mais de 680 mil habitantes estão a ser alvo de três testagens massivas esta semana, um total de seis desde 19 de junho.

Milhares de pessoas estão em quarentena em hotéis e partes da cidade estão isoladas, com o território a seguir a política do interior da China de zero casos.

Leia também: COVID-19: Macau só permite entrada nos casinos com teste negativo a partir de sábado

Na conferência diária, as autoridades afastaram para já o cenário de confinamento total, mas, apesar de admitirem essa possibilidade, criticaram “os rumores na Internet” de que se vai avançar para essa medida, lembrando que isso pode levar a uma corrida aos supermercados por parte da população, aumentando os riscos de contágio.

Por outro lado, apelaram aos empregadores que criassem condições para que as empregadas domésticas pernoitassem nas suas casas, de forma a proteger sobretudo as crianças e idosos.

Um pedido que foi justificado pelo facto de ser normal que estas partilhem os espaços onde habitam com várias pessoas e de boa parte dos casos de infeção ter sido detetada entre trabalhadores ligados à segurança e de limpeza. Macau registou no domingo as duas primeiras mortes por Covid-19.

Leia mais sobre o assunto: Macau regista duas primeiras mortes de Covid-19 em mais de dois anos

As autoridades anteciparam o final do ano letivo, suspenderam o funcionamento normal dos serviços públicos, reduziram os serviços de transportes públicos e ordenaram o encerramento de estabelecimentos, com os supermercados a manterem as portas abertas, mas com os restaurantes apenas a poderem vender comida para fora.

Este artigo está disponível em: English

Assine nossa Newsletter