Hamilton confirma participação em oferta para comprar Chelsea -

Hamilton confirma participação em oferta para comprar Chelsea

Lewis Hamilton confirmou nesta sexta-feira, em entrevista ao canal britânico Sky News, que decidiu se juntar ao consórcio liderado pelo empresário Martin Broughton para comprar o Chelsea. O heptacampeão da Fórmula 1 falou sobre o assunto em Ímola, antes do primeiro treino livre do GP da Emilia-Romagna, e se disse muito animado com a possibilidade.

“Fui contatado. O Sir Martin teve tempo para falar comigo por telefone e explicar os objetivos dele e de sua equipe se eles conseguirem vencer a oferta. É incrivelmente empolgante e muito alinhado com os meus valores”, afirmou o piloto da Mercedes. “O Chelsea é um dos maiores clubes do mundo. Quando eu ouvi sobre a oportunidade, pensei: ‘uau, é uma das melhores oportunidades de ser parte de algo grande”, completou Hamilton.

Hamilton é torcedor declarado do Arsenal, rival do Chelsea, situação que até gerou uma pequena provocação de Max Verstappen, seu rival na Fórmula 1. O holandês disse, na quinta-feira, que a notícia era ‘bastante curiosa’ e que, como torcedor do PSV Eindhoven, jamais compraria o Ajax. Hamilton, por sua vez, afirmou não se importar tanto com a rivalidade e citou um tio torcedor do Chelsea como motivação para se envolver com o clube.

“Sou um fã de futebol desde criança. Joguei no time da escola todo ano na infância e fui a vários jogos. Quando era jovem, eu queria me encaixar e as crianças torciam para diferentes times. Lembro de trocar várias vezes de time, e minha irmã me socou e disse que eu tinha que torcer para o Arsenal, então virei torcedor. Mas meu tio Terry é fanático pelo Chelsea, já fui a muitos jogos entre Arsenal e Chelsea com ele”, explicou.

O britânico também falou sobre a participação da tenista Serena Williams no consórcio. “Nós conversamos sobre isso. Serena e eu somos muito próximos, ela é fenomenal como atleta e mulher. Ela perguntou o que eu achava sobre o assunto e eu disse que eu seria parte daquilo, e ela resolveu se juntar”, contou.

Presidente da British Airways e ex-presidente do Liverpool, Martin Broughton, líder do consórcio ao qual Hamilton e Williams se juntaram, é apenas um dos interessados em comprar o Chelsea. Desde que o clube foi colocado à venda por Roman Abramovich, alvo de sanções do Reino Unido por sua relação com Vladimir Putin em meio à invasão russa à Ucrânia, diversos grupos e empresários já manifestaram interesse.

Leia mais em Istoé

Related posts
MacauSociedade

Universidade de Macau aposta na internacionalização

AngolaPolítica

UNITA diz que Tribunal Constitucional aceitou providência cautelar

AngolaSociedade

“Caçadores de óbito”, os truques para matar a fome em Luanda à custa dos funerais

Desporto

Ferdinand revela o craque que Alex Ferguson tentou

PortugalSociedade

Abramovich financiou organismo que o certificou como sefardita português

Política

Abramovich, o inesperado participante no diálogo entre Ucrânia e Rússia

DesportoPolítica

Roman Abramovich nas negociações de paz

Assine nossa Newsletter