FC Porto elimina Sporting e garante 32.ª final da Taça - Plataforma Media

FC Porto elimina Sporting e garante 32.ª final da Taça

E vão 32 finais da Taça de Portugal para o FC Porto (a terceira nas últimas quatro épocas), que ontem eliminou o Sporting. Os dragões venceram os leões, no Estádio do Dragão (1-0), depois de já terem ganho em Alvalade (2-1) e garantiram assim um lugar no Jamor a 22 de maio. Vão jogar com o estreante Tondela e podem conquistar o 18.º troféu. Para já têm 17, tantos como os leões, que assim dizem adeus à Taça, depois de terem dito adeus à revalidação do título.

Tanto barulho para nada. Os castigos a Pepe, Tabata e Matheus Reis – que levaram Sérgio Conceição a dizer que “não vale tudo para ganhar” e Rúben Amorim a responder que há declarações que lhe dão “vontade de rir” – ficaram sem efeito a partir do momento em que o tribunal aceitou o recurso dos jogadores. O capitão portista e o lateral e o avançado leonino ficaram assim disponíveis para o clássico, no campo onde tudo aconteceu a 11 de fevereiro, dia em que Frederico Varandas atacou o reinado de Pinto da Costa. O lugar do presidente do Sporting na tribuna VIP do Dragão ficou vazio, com Varandas a optar por ver o jogo num camarote em vez de se sentar ao lado de Pinto da Costa.

Com Pepe e Marchesín no onze e um golo de vantagem conseguido na primeira mão das meias-finais, em Alvalade (2-1), os dragões começaram o jogo bem organizados e a dificultar a saída apoiada do Sporting, que aos poucos se foi soltando das amarras e criando lances de perigo. Aos 14 minutos chegou mesmo a meter a bola na baliza, mas o lance foi invalidado por fora de jogo de Sarabia. Um momento de raro frisson contra o marasmo do jogo físico, com demasiadas perdas de bola de parte a parte e sem grandes ocasiões de golo – exceção feita ao remate de Zaidu, que aos 38 minutos falhou um golo de baliza aberta, mas de ângulo difícil.

Não surpreendeu por isso que o intervalo chegasse sem golos. O que para o Sporting era uma má notícia, tendo em conta que precisava de marcar dois golos e só ficava com 45 minutos para o conseguir. E sem Slimani as opções ofensivas ficavam reduzidas a Tabata. No regresso dos balneários o Sporting voltou com mais bola, mas era preciso encontrar espaços num FC Porto organizado. Matheus Nunes encontrou esse espaço e ficou perto de inaugurar o marcador, mas Marchesín saiu-lhe ao caminho e impediu que marcasse golo.

Estava feito o aviso, mas Amorim queria e precisava de mais. Tirou Neto e meteu Esgaio, mas não desfez o 3x4x3. Depois tirou Sarabia, para dar lugar a Marcus Edwards e mudou Pedro Gonçalves para a esquerda. Nesse entretanto a equipa de Sérgio Conceição ganhou fôlego através do génio de Vitinha, que em escassos minutos teve duas grandes oportunidades de golo.

Leia mais em Diário de Notícias

Related posts
MacauSociedade

Universidade de Macau aposta na internacionalização

AngolaPolítica

UNITA diz que Tribunal Constitucional aceitou providência cautelar

AngolaSociedade

“Caçadores de óbito”, os truques para matar a fome em Luanda à custa dos funerais

DesportoPortugal

Benfica vence Sporting em Alvalade e 'entrega' título ao FC Porto

DesportoPortugal

"É difícil repetir o penta, mas com Pinto da Costa tudo é possível"

DesportoPortugal

Pepe chegou aos 800 jogos como profissional

DesportoPortugal

Ingleses salientam alegado interesse do FC Porto em Ronaldo

Assine nossa Newsletter