Campanha de Bolsonaro busca virar voto de 'arrependidos' -

Campanha de Bolsonaro busca virar voto de ‘arrependidos’

Aliados de Jair Bolsonaro (PL) admitem que será preciso ir além do cercadinho do Palácio da Alvorada para ganhar a eleição e defendem reconquistar os votos dos chamados “arrependidos” de 2018, aqueles que votaram no presidente na onda do antipetismo e migraram para a terceira via ou até para Lula (PT).

Se antes a principal expectativa do Planalto era que o cenário econômico estivesse melhor no período eleitoral, hoje isso mudou.

A leitura é que, com os efeitos da guerra na Ucrânia, principalmente a inflação alta, dificilmente a melhora na economia será um cartão de visita do último ano do governo Bolsonaro. Isso apesar de um Bolsa Família reformulado no Auxílio Brasil com tíquete superior de R$ 400.

Portanto, um dos focos será retomar o discurso do antipetismo e a narrativa de que não há corrupção no governo Bolsonaro —prejudicada nesta última semana, diante dos escândalos no Ministério da Educação envolvendo o próprio ministro Milton Ribeiro e pastores sem cargo público que negociavam a liberação de recursos da pasta.

Uma ala de integrantes da campanha de Bolsonaro acredita que ele deveria tomar providências quanto ao ministro. Outros aliados têm minimizado as acusações, dizendo que elas não alcançam diretamente o ministro e muito menos o presidente.

Levantamentos aos quais aliados do chefe do Executivo tiveram acesso dão conta de que, além das mulheres, os jovens integram o grupo de maior rejeição a Bolsonaro.

Em um evento recente no Paraná, do qual participou virtualmente, Bolsonaro foi questionado pelo deputado Filipe Barros (PL-PR) sobre de que forma seus apoiadores poderiam ajudá-lo.

Bolsonaro pediu: “Não esqueça de procurar alguém que pensa diferente de você e, pelo convencimento, mostrar para ele a grandiosidade do Brasil. Os problemas que vivemos atualmente são superáveis, sim, mas, se um dia viermos a perder a liberdade, daí creio que dificilmente ela será reconquistada lá na frente”.

Leia mais em Folha de S. Paulo

Related posts
AngolaSociedade

“Caçadores de óbito”, os truques para matar a fome em Luanda à custa dos funerais

BrasilPolítica

Malafaia pede quebra de sigilo de pastores

BrasilLifestyle

Casamento de Carlos Bolsonaro é cancelado a dois dias da cerimônia

BrasilPolítica

Ações 'pró-pobre' de Bolsonaro minam Lula

BrasilPolítica

Senado convida Milton Ribeiro para explicar suspeita de favorecimento a pastores

Assine nossa Newsletter