Investimento estrangeiro em alta na província de Guangdong -

Investimento estrangeiro em alta na província de Guangdong

Guangdong continua a ser um destino para o investimento estrangeiro. Aliás, Guangzhou, capital da província, foi classificada como a cidade mais popular para capital estrangeiro nos últimos cinco anos, segundo um relatório publicado pela Câmara de Comércio Americana no Sul da China (AmCham South China).

A província detém um peso económico significativo para a China e tem atraído várias empresas estrangeiras. Cerca de 83 por cento das empresas associadas afirmou que o ambiente de negócios continua a melhorar em Guangdong.

No final de 2021, cerca de 289 mil negócios estrangeiros estavam estabelecidos, totalizando um capital estrangeiro de 524 mil milhões. No mesmo ano, a utilização efetiva de capital estrangeiro excedeu os 180 mil milhões de yuan. Segundo o Governo Provincial de Guangdong, serão tomadas medidas de maneira a expandir a procura interna, estabilizar a procura externa e melhorar a ligação da circulação interna e internacional. Com isto, será otimizado o ambiente empresarial, algo que promove um desenvolvimento económico de alta qualidade e atrai mais empresas estrangeiras.

Leia também: Hengqin vai simplificar circulação de mercadorias entre Macau e Guangdong

Potencial de mercado valorizado

A maioria das empresas financiadas por capital estrangeiro referiu à AmChamSouth China que o potencial crescimento de mercado, as vantagens nos transportes e logística, bem como as boas infraestruturas estão entre as principais razões para o desenvolvimento em Guangdong.

A província tem registado fortes índices de crescimento económico. Aliás, em 2021, Guangdong tornou-se na primeira província da China com um Produto Interno Bruto superior a 12 triliões de yuan. Para seguir a trajetória deste desenvolvimento acelerado, foram introduzidas medidas para melhorar o ambiente empresarial, nomeadamente através de regulamentos sobre a proteção dos direitos e interesses do investimento estrangeiro. O documento entrou em vigor no início do mês e é a primeira versão local de tais regulamentos na China.

Anteriormente, as autoridades de Guangdong encabeçaram políticas para encorajar empresas multinacionais a estabelecerem sedes regionais, otimizar os ambientes empresariais portuários, promover a facilitação do comércio transfronteiriço e encorajar a sua participação na Área da Grande Baía Guangdong-Hong Kong-Macau (GBA).Numa fase inicial, o investimento estrangeiro centrava-se em indústrias demão de obra intensiva. Posteriormente, houve uma transição para indústrias de alta tecnologia, tais como informação eletrónica, petroquímica, automóveis e indústrias de serviços modernos, segundo referiu o Departamento de Comércio da Província de Guangdong. O investimento efetivo na produção de alta tecnologia da província registou um aumento para o dobro. John Penrice, presidente da Dow Asia Pacific, salientou que a prosperidade do mercado consumidor é uma das considerações importantes para o plano de investimento da empresa.

Leia também: Capital estrangeiro protegido em Guangdong

A Dow, empresa líder mundial em ciência dos materiais, possui um portefólio de negócios com plásticos, silicone, intermediários industriais e revestimentos que é capaz de fornecer uma vasta gama de produtos e soluções diferenciadas. Além disto, a GBA prima pelo apoio apolíticas de desenvolvimento industrial e pelo incentivo ao desenvolvimento de talentos, proporcionando também um excelente ambiente para o desenvolvimento empresarial, algo importante para as empresas multinacionais investirem. A área possui ainda uma boa rede de transporte marítimo, tal como uma logística interior amadurecida, tendo condições de investimento para o estabelecimento de projetos provenientes da indústria química.

Criação de um mercado aberto

O ambiente político e económico global está a tornar-se cada vez mais complexo. Alguns economistas consideram difícil atingir um crescimento rápido no que toca ao investimento transfronteiriço global. Há muitos desafios na reestruturação da cadeia industrial internacional e a concorrência entre países para atrair investimento estrangeiro é cada vez mais intensa. Algumas empresas querem ver como Guangdong responde a estes obstáculos, tendo em conta que a pandemia ainda perdura.

Bai Ming, diretor-adjunto do Instituto de Investigação de Pesquisa de Mercado da Academia de Mercado Internacional e Cooperação Económica da China (que está sob alçada do Ministério do Comércio chinês), sugeriu que Guangdong deveria melhorar de forma contínua o ambiente de negócios, algo que o académico vê como tarefa essencial.

Por um lado, ao continuar o desenvolvimento da GBA, a província pode reforçara ligação com Hong Kong e Macau em regras e mecanismos. As três regiões podem desenvolver uma integração profunda das respetivas economias, conseguindo criar um ambiente de mercado aberto em conformidade com os padrões internacionais. Por outro, pode haver uma maior concentração no desenvolvimento da indústria transformadora através de clusters, tais como eletrodomésticos, automóveis e comunicações. Fazer isto através de métodos de fusão de itens semelhantes e de melhoria das cadeias industriais beneficiaria a cadeia industrial e de fornecimento global de Guangdong.

Registe-se que no ano passado, as autoridades provinciais emitiram reformas para promover 20 clusters industriais estratégicos, procurando agora produzir um cluster industrial avançado de classe mundial. Visto que as indústrias transformadoras são cruciais para a atração de capital estrangeiro, Guangdong irá encorajar cidades locais a selecionar um ou dois polos industriais chave para materializar este objetivo.

Leia também: Guangdong estabelece planos para desenvolvimento da Grande Baía em 2022

Em Dezembro de 2021, a Clariant (empresa especializada em produtos químicos) anunciou a sua primeira instalação de retardadores de chama Exolit OP nas suas instalações da Baía Daya, Huizhou, localizada na província de Guangdong. Estes produtos podem ser utilizados em veículos elétricos, equipamento 5G e eletrónica. O projeto será concluído e posto em produção em 2023, tendo um investimento de 400 milhões de yuan. O diretor geral da Clariant Chemical de Huizhou sublinhou o apoio prestado pelo Governo da província em matéria de tributação, planeamento, registo industrial e comercial, algo fulcral para o bom ambiente de produção e dos negócios do projeto.

“Vamos aproveitar as importantes oportunidades estratégicas no desenvolvimento da GBA e tornarmo-nos num verdadeiro ‘insider’ do mercado chinês. Isto será feito com auxílio de métodos que reforcem a inovação, que melhorem a experiência do consumidor e que otimizem os processos”, especificou TanZhenyu.

Além da província chinesa continuar a apostar na GBA, irá ainda pilotar uma nova zona para investimento internacional e trocas comerciais com Hong Kong e Macau, segundo refere a imprensa de língua chinês.

NewsGD.com/editado

Artigos relacionados
AngolaSociedade

“Caçadores de óbito”, os truques para matar a fome em Luanda à custa dos funerais

Eleitos

Benefícios sociais e económicos para Macau na Ponte Hong Kong-Zhuhai-Macau

EconomiaMacau

CE alerta que inconstância da pandemia gera incerteza nas perspectivas económicas

ChinaEconomia

Grande Baía preocupada com desenvolvimento de talentos

EleitosMacau

Reforçando o turismo desportivo em Macau

Assine nossa Newsletter