China vai manter estratégia de 'covid zero' para conter contágios -

China vai manter estratégia de ‘covid zero’ para conter contágios

O presidente chinês, Xi Jinping, ordenou, nesta quinta-feira (17), prosseguir com a política governamental de “covid zero” contra a pandemia em um momento no qual o país enfrenta o seu pior surto epidêmico desde a primeira onda em 2020. 

“Devemos continuar pondo as pessoas e a vida em primeiro lugar, sempre, seguindo as indicações científicas (…) e frear a propagação da epidemia o mais rápido possível”, declarou Xi, segundo a televisão estatal CCTV

A China, onde o vírus foi detectado pela primeira vez no fim de 2019 – em Wuhan (centro) – atacou rapidamente a propagação da epidemia adotando medidas de confinamento bastante restritas, que, em alguns casos, envolviam cidades inteiras e a realização de testes em massa. 

Essa estratégia “covid zero”, que busca limitar ao máximo a aparição de novos casos, permitiu a China limitar os mortos a menos de 5.000 desde o início da pandemia. 

Há vários dias, porém, o país lida com seu pior surto epidêmico desde a primeira onda de contágios, em 2020, com dezenas de milhares de pessoas confinadas em todo o país. 

O Ministério da Saúde informou, nesta quinta, se foram reportados 2.432 novos casos de covid-19, espalhados, praticamente, por todas as províncias. Os números são muito baixos em comparação com os comunicados por outros países, porém muito altos para a China.

– Medidas restritas –

Diante desse aumento dos contágios, as autoridades decretaram confinamentos em, ao menos, 17 cidades, sobretudo na província de Jilin (nordeste), onde foram detectados grande parte dos casos e na cidade de Shenzhen (sul), onde vivem 17,5 milhões de habitantes. 

Em Xangai, a maior cidade chinesa, foram registrados apenas 165 novos casos, mas as autoridades já confinara, vários bairros. 

Assim, o famoso cais Bund, localizado às margens do rio Huangpu em frente aos icônicos arranha-céus da metrópole, estava quase deserto.

Em Hong Kong (sul), os hospitais estão lotados de pacientes e a população local está esvaziando os supermercados, em pânico, diante do temor de que se decrete um novo confinamento. 

Os restritos confinamentos pesam sobre a vida cotidiana e sobre a economia do país. 

Nas últimas semanas, especialistas chineses puseram em dúvida a viabilidade da estratégia governamental contra a pandemia. 

Houve casos de pessoas bloqueadas em seu trabalho ou em restaurantes, à espera de poder realizar um teste de covid-19. Em alguns lugares, tem que se esperar 48 horas para ter o resultado. 

No início do mês, Zeng Guang, um cientista de alto nível recomendou que a China comece a viver com o vírus e abandone “em um futuro próximo” sua estratégia de “zero covid”

Segundo o especialista, muito poucos chineses foram contagiados e suas imunidades coletivas provêm quase totalmente das vacinas de fabricação nacional.  

Related posts
AngolaPolítica

UNITA diz que Tribunal Constitucional aceitou providência cautelar

AngolaSociedade

“Caçadores de óbito”, os truques para matar a fome em Luanda à custa dos funerais

MundoSociedade

Há mesmo uma nova onda epidémica na Europa?

MundoSociedade

Consumo de droga aumentou durante a pandemia de Covid-19

Sociedade

Venezuela torna obrigatória dose de reforço a cada quatro meses

Assine nossa Newsletter