Grande Baía quer 'acelerar' integração em 2022 - Plataforma Media

Grande Baía quer ‘acelerar’ integração em 2022

Grande Baía 2022

PARA MEMBROS DA CLASSE POLÍTICA DE GUANGDONG, ESTE ANO É VISTO COMO “CRUCIAL” PARA O DESENVOLVIMENTO DA ÁREA DA GRANDE BAÍA. RESPONSÁVEIS DA PROVÍNCIA CHINESA ACREDITAM QUE SE DEVE CONSTRUIR “UMA BAÍA LÍDER MUNDIAL E UM AGLOMERADO URBANO” E ACRESCENTAM SER NECESSÁRIO ‘VENDER’ A REGIÃO COMO CENTRO TECNOLÓGICO E DE INOVAÇÃO

O secretário da província de Guangdong do Partido Comunista Chinês apelidou o ano de 2022 como “crucial” para a Grande Baía. Li Xi constata que se deve “aproveitar a oportunidade para acelerar a sua construção enquanto baía líder mundial e um aglomerado urbano”, segundo reportou o South China Morning Post. O mesmo responsável sublinhou ainda que a integração deve ser aprofundada em áreas como o emprego, educação, saúde pública e apoio aos mais idosos, para que “juntos possamos construir a Grande Baía para ser um lugar de alta qualidade para a vida, trabalho e lazer”.

Leia mais sobre o assunto: Integração: Criado portal com informações para viver na Grande Baía

Li Xi delineou ainda objetivos para este ano, como a atração de talento global; aprofundamento da cooperação em infraestruturas com Macau e Hong Kong; promoção do intercâmbio entre pessoas e a comunicação com as duas regiões especiais na prevenção e controlo da pandemia. Por sua vez, o Governador de Guangdong vislumbra uma cooperação entre os membros da região na definição de uma cadeia de valor completa, ligando a investigação científica básica com aplicações, fintech e desenvolvimento de talentos.

“Precisamos de grandes esforços para promover a Grande Baía como um centro internacional de tecnologia e inovação. Precisamos de adiantar o desenvolvimento para atrair recursos inovadores de todo o mundo e juntar as mãos com Hong Kong e Macau, tanto no hardware como no software do desenvolvimento de infraestruturas”, salientou Wang Weizhong, acrescentando ser necessário “estimular o desenvolvimento de uma série de bases inovadoras de alta qualidade” para novos negócios focados em jovens de Hong Kong e Macau.

Em declarações ao South China Morning Post, Tiffany Chan, licenciada em Direito, não ficou surpreendida com o apelo de maior celeridade entre as três partes. Segundo a especialista, espera-se que a província chinesa introduza medidas para atrair jovens das regiões a criar empresas, mas observa ainda alguns obstáculos. “Embora existam políticas para providenciar apartamentos para estes profissionais, a sua aplicação não é fácil porque há uma oferta limitada de habitação”, argumentou.

Já Neildo Choi, a trabalhar na indústria das tecnologias de informação em Macau, referiu que nos últimos anos começou a explorar centros de comércio mais vastos, segundo noticiou o Zhuhaidaily. O mesmo decidiu que Hengqin seria a primeira paragem para entrar em mercados da China. Neildo Choi salientou que Hengqin proporciona uma estrutura de talentos mais diversificada, comparativamente com Macau, e realça os custos operacionais baixos e o fácil acesso à cultura continental como algo benéfico para o desenvolvimento da sua empresa a longo prazo.

Leia mais sobre o assunto: Macau e Zhuhai querem centro sinolusófono em Hengqin

“A empresa está a colaborar com outras de comércio eletrónico do Interior da China para desenvolver uma plataforma de comércio transfronteiriço de produtos internacionais. Isto permitirá trazer produtos para a Grande Baía, ao mesmo tempo que se vendem produtos de qualidade da China, especialmente para os Países de Língua Portuguesa com os quais Macau tem relações duradouras”, especificou.

Este artigo está disponível em: 繁體中文

Related posts
ChinaMacau

Conectividade acelera integração de Macau com Grande Área da Baía Guangdong-Hong Kong-Macau

EconomiaGrande Baía

“A procura dos jovens (de Macau) em adquirir imobiliário é elevada”

ChinaEconomia

Empresas da Grande Baía miram a ASEAN

ChinaEconomia

Novas vantagens para o setor financeiro de Macau

Assine nossa Newsletter