Confrontos em Jerusalém oriental deixam ao menos 31 feridos

Confrontos em Jerusalém oriental deixam ao menos 31 feridos

Manifestantes palestinos e policiais israelitas enfrentaram-se este domingo no bairro de Sheikh Jarrah, em Jerusalém oriental, após a visita de um deputado israelita de direita que atiçou as tensões. Trinta e uma pessoas ficaram feridas nos incidentes

À noite, os confrontos não tinham cessado e a polícia israelense usou jatos d’água e balas de borracha para dispersar os manifestantes, constatou a AFP.

Ao menos 31 palestinos ficaram feridos e vários deles foram hospitalizados, segundo balanço da organização Crescente Vermelho Palestino.

A polícia israelense reportou “confrontos violentos” no bairro de Sheikh Jarrah, que se transformou em um símbolo da luta contra a colonização israelense em Jerusalém oriental, e anunciou ter detido 12 “agitadores”.

Mais de 300.000 palestinos e 210.000 colonos israelenses moram em Jerusalém oriental, parte palestina desta cidade ocupada e anexada por Israel, e que os palestinos gostariam de transformar na capital do Estado que desejam fundar. Israel, ao contrário, considera Jerusalém sua capital.

Itmar Ben Gvir, deputado do partido de extrema direita “Sionismo religioso”, conhecido por suas declarações incendiárias sobre os palestinos, visitou Sheikh Jarrah para abrir um “escritório” e apoiar os moradores judeus do bairro.

Antes da visita, Ben Gvir acusou no sábado a polícia de não ter agido frente a um incêndio, supostamente criminoso, que destruiu a casa de uma família judia do bairro.

“Se os terroristas tentaram queimar viva uma família judia sem que a polícia reagisse, eu mesmo irei lá”, advertiu.

A Autoridade Palestina condenou a abertura do escritório e afirmou que se trata de uma  “provocação, que ameaça piorar a situação, que poderia se tornar difícil de controlar”, reagiu o Ministério de Relações Exteriores em um comunicado.

“Estas provocações irresponsáveis e qualquer outro ato de escalada neste setor sensível vão atiçar as tensões, devem parar”, destacou no Twitter a representação da União Europeia (UE) nos Territórios Palestinos.

Em maio, manifestações de apoio a famílias palestinas em risco de perder suas residências em Sheikh Jarrah, em proveito de colonos judeus, resultaram em confrontos com colonos judeus e a polícia israelense. Centenas de palestinos ficaram feridos.

Após os confrontos, o movimento islamita Hamas, que governa a Faixa de Gaza, lançou vários foguetes em direção a Israel, que reagiu, resultando em uma guerra de 11 dias.

Related posts
BrasilPolítica

“Terroristas roubaram armas usadas pelo GSI no Planalto do Brasil”

MundoPolítica

Putin vê uma década repleta de ameaças por um Ocidente em pleno declínio

AngolaPolítica

“Estou optimista quanto à solução do conflito entre o Rwanda e a RDC, porque já foram dados passos positivos para a sua resolução”

MundoPolítica

AI pede ao TPI que investigue possíveis crimes de guerra em Gaza

Assine nossa Newsletter