Venezuela não autoriza voos regulares para Portugal - Plataforma Media

Venezuela não autoriza voos regulares para Portugal

A Venezuela atualizou esta segunda-feira as restrições às ligações aéreas comerciais de passageiros, para permitir “de maneira excecional” a realização de voos regulares para Espanha, mas continuando a restringir os voos para Portugal.

“De maneira excecional, unicamente estão autorizadas as operações comerciais aéreas para o transporte de passageiros entre a República Bolivariana da Venezuela e os países da Turquia, México, Panamá, República Dominicana, Bolívia, Rússia, Cuba e Espanha”, refere um comunicado divulgado pelo Instituto de Aeronáutica Civil (INAC) venezuelano.

Fontes diplomáticas disseram à Lusa que a Venezuela mantém as restrições às operações aéreas entre Lisboa e Caracas e que “apesar de ter chegado a haver a convicção de que poderia haver alguma flexibilização, não há novidade nesse sentido”.

Em 12 de dezembro, o embaixador de Portugal em Caracas, Carlos de Sousa Amaro, queixou-se que a Venezuela não tem respondido aos pedidos de autorização para que a TAP realize voos humanitários entre Caracas e Lisboa, apesar de ter autorizado outras companhias.

“Nós, a TAP e a nossa embaixada em nome da TAP, fizemos um pedido para dois voos humanitários em dezembro e dois voos humanitários em janeiro. O primeiro voo do mês de dezembro teria saído hoje [12 de dezembro]. Infelizmente não se realizou porque as autoridades venezuelanas ainda não nos deram resposta, não obstante as insistências e os pedidos que temos feito para que permitam esses voos”, disse à Lusa Carlos de Sousa Amaro.

Agências de viagem consultadas pela Lusa explicaram que a comunidade portuguesa local tem perguntado frequentemente pela retoma dos voos diretos para Portugal e que não entendem o motivo pelo qual a TAP não recebe autorização, quando várias companhias aéreas foram autorizadas a fazer voos, entre dezembro de 2021 e janeiro de 2022, nomeadamente entre Caracas e Madrid.

Leia mais em Diário de Notícias

Assine nossa Newsletter