Laboratório diz que duas doses da Coronavac "neutralizam" Ómicron

Laboratório diz que duas doses da Coronavac “neutralizam” Ómicron

Duas doses da vacina Coronavac contra o novo coronavírus, da chinesa Sinovac, “neutralizam a variante Ómicron”, referem estudos fornecidos ontem pelo Instituto Butantan, que desenvolve o imunizante em solo brasileiro

Segundo o Butantan, com sede no estado de São Paulo e que produz no Brasil a Coronavac, ao canal televisivo CNN Brasil, a efetividade da vacina foi comparada em quatro estudos científicos, sendo que o primeiro reuniu resultados do ensaio de neutralização da Coronavac para a Ómicron e os outros três trabalhos referem-se a diferentes ensaios de neutralização da vacina Pfizer contra a nova variante do coronavírus.

Os estudos apontaram que a capacidade da vacina chinesa para neutralizar a Ómicron é igual ou superior à do imunizante da Pfizer para a mesma linhagem.

De acordo com a CNN, para a análise os cientistas geraram partículas semelhantes ao vírus contendo a proteína Spike de sete estirpes do novo coronavírus: as variantes de preocupação Ómicron, Alfa, Beta, Gama e Delta, além das variantes de interesse Lambda e Mu.

A partir das partículas das sete estirpes, os cientistas avaliaram a resposta viral à exposição aos anticorpos neutralizantes contidos nas amostras de soro de 16 pacientes convalescentes de covid-19, que contraíram o vírus original, entre janeiro e março de 2020.

O ensaio de neutralização revelou que 16 amostras mostraram reduções médias de 10,5 vezes da neutralização contra a Ómicron, 2,2 vezes contra a Alfa, 5,4 vezes contra a Beta, 4,8 vezes contra a Gama, 2,6 vezes contra a Delta, 1,9 vezes contra a Lambda e 7,5 vezes contra a variante Mu.

Posteriormente, a mesma análise foi realizada com os anticorpos neutralizantes presentes no soro de 20 pessoas que completaram o esquema de duas doses da Coronavac, administradas entre maio e junho de 2021.

Nessa fase, os cientistas verificaram que o plasma dos vacinados com duas doses da Coronavac mostraram uma redução de neutralização média de 12,5 vezes face à Ómicron, de 2,9 vezes contra a Alfa, 5,5 vezes contra a Beta, 4,3 vezes contra a Gama, 3,4 vezes contra a Delta, 3,2 vezes contra a Lambda e 6,4 vezes contra a variante Mu.

O ensaio de neutralização da Ómicron pela Coronavac, conduzido por investigadores chineses, foi publicado na segunda-feira no periódico científico ‘Emerging Microbes&Infections’.

Juntamente com os Estados Unidos da América e Índia, o Brasil é um dos países mais afetados pela pandemia, com mais de 620 mil mortes e 22,6 milhões de pessoas infetadas com o vírus.

A covid-19 provocou 5.503.347 mortes em todo o mundo desde o início da pandemia, segundo o mais recente balanço da agência France-Presse.

Uma nova variante, a Ómicron, considerada preocupante e muito contagiosa pela Organização Mundial da Saúde (OMS), foi detetada na África Austral, mas desde que as autoridades sanitárias sul-africanas deram o alerta, em novembro, foram notificadas infeções em pelo menos 110 países.

Artigos relacionados
Sociedade

Coreia do Norte com quase 1,5 milhões de casos de "febre"

Sociedade

Coreia do Norte com novas mortes, falta de vacinas e medicamentos

MundoSociedade

Coreia do Norte anuncia 21 novas mortes enquanto luta contra contágios

MundoSociedade

Covid-19: Coreia do Norte anuncia primeiro caso

Assine nossa Newsletter