ONU condena massacre atribuído ao exército birmanês

ONU condena massacre atribuído ao exército birmanês

O Conselho de Segurança da ONU condenou nesta quarta-feira (29) um massacre atribuído ao exército birmanês, após a descoberta no leste do país de restos mortais carbonizados de pelo menos 35 pessoas, incluindo de dois funcionários da ONG Save The Children

Quatro crianças estão entre as vítimas, segundo o Conselho de Segurança da ONU, que destacou em nota “a necessidade dos responsáveis por esses atos prestarem contas”.

O boletim também pediu o fim imediato da violência e lembrou “da importância de respeitar os direitos humanos e garantir a segurança dos civis”.

A ONG afirmou na terça-feira que dois de seus funcionários foram mortos em 24 de dezembro em um ataque “realizado pelos militares birmaneses no estado de Kayah”.

Leia mais sobre o assunto em: Funcionários de ONG em Myanmar desaparecidos após ataque do exército

De acordo com o observatório Myanmar Witness, “35 pessoas, incluindo crianças e mulheres, foram queimadas e mortas pelos militares em 24 de dezembro no cantão de Hpruso”.

Um porta-voz da junta militar do país admitiu que confrontos na região eclodiram no dia 24 e que os soldados mataram um certo número de pessoas, sem dar detalhes.

A Birmânia mergulhou no caos desde o golpe de fevereiro, e mais de 1.300 pessoas foram mortas pela repressão das forças armadas, de acordo com uma ONG local.

Artigos relacionados
PolíticaPortugal

"Portugal é um pilar muito importante da ONU", diz Guterres à nova embaixadora 

MundoPolítica

Novos ataques contra Ucrânia e Putin adverte contra adesão da Suécia e Finlândia à NATO

MundoPolítica

Ucrânia fará primeiro julgamento por crimes de guerra após invasão russa

Política

Guterres afasta perspetivas de cessar-fogo "num futuro próximo"

Assine nossa Newsletter