Gilberto Gil é o novo membro da Academia Brasileira de Letras

Gilberto Gil é o novo membro da Academia Brasileira de Letras

Gilberto Gil, uma lenda viva da música brasileira, se tornou aos 79 anos o mais novo imortal da Academia Brasileira de Letras (ABL), informou a instituição nesta quinta-feira (11)

“Gilberto Gil traduz o diálogo entre a cultura erudita e a cultura popular. Poeta de um Brasil profundo e cosmopolita. Atento a todos os apelos e demandas de nosso povo. Nós o recebemos com afeto e alegria”, declarou o presidente da ABL, Marco Lucchesi, citado em um comunicado.

O cantor e compositor foi eleito por uma maioria de 21 votos em 34, e é a segunda pessoa negra a integrar a Academia, ao lado do escritor e professor Domício Proença Filho.

Nascido em Salvador, Bahia, Gil sucederá o jornalista Murilo Melo Filho, falecido em 2020. Ele venceu na votação o poeta Salgado Maranhão e o crítico literário Ricardo Daunt.

“Muito feliz em ser eleito para a cadeira 20 da Academia Brasileira de Letras. Obrigado a todos pela torcida e obrigado aos agora colegas de Academia pela escolha”, escreveu Gil em suas redes sociais.

Autor de sucessos como “Aquele Abraço” e “Expresso 2222”, Gil lançou quase 60 discos e ganhou dois prêmios Grammy, além de cinco indicações.

Ao lado de Caetano Veloso, também baiano, Gil é um dos expoentes do Tropicalismo, movimento cultural libertário que revolucionou a música brasileira na década de 1960.

O Tropicalismo “contemplou e internacionalizou a música, o cinema, as artes plásticas, o teatro e toda a arte brasileira”, e desagradou a ditadura que comandava o país na época, razão pela qual ambos acabaram no exílio, destacou a Academia.

Seu tempo no exterior “contribuiu para a influência do mundo pop na obra de Gil, que chegou a gravar um disco em Londres, com canções em português e inglês”, acrescentou.

O músico também atuou como ministro da Cultura entre 2003 e 2008, durante o governo de Luiz Inácio Lula da Silva, e foi nomeado Artista da Paz (Unesco) em 1999 e embaixador da ONU para a Alimentação e a Agricultura (FAO), entre outros reconhecimentos internacionais.

Na semana passada, a atriz Fernanda Montenegro, indicada ao Oscar de melhor atriz pelo filme “Central do Brasil” (1998), também ingressou na Academia.

Related posts
LifestyleMundo

Rapper Kanye West planeia show na Rússia e encontro com Putin

CulturaPortugal

Novo livro conta história com mais de 200 anos da guitarra portuguesa

Cultura

Morre Michael Lang, organizador do festival de música de Woodstock

BrasilCultura

Caetano Veloso dá positivo para covid-19

Assine nossa Newsletter