Amnistia Internacional obrigada a sair de Hong Kong - Plataforma Media

Amnistia Internacional obrigada a sair de Hong Kong

A Amnistia Internacional vai fechar os seus dois escritórios em Hong Kong, justificando a decisão com a lei de segurança nacional imposta naquele território por Pequim.

“O escritório local vai cessar operações a 31 de outubro, enquanto que o escritório regional – que faz parte do secretariado internacional global da Amnistia – deverá encerrar no final de 2021”, sendo que “as operações regionais serão transferidas para os outros escritórios da organização na Ásia-Pacífico”, pode ler-se num comunicado publicado no site organização não-governamental (ONG).

“Esta decisão, tomada com o coração pesado, foi impulsionada pela lei de segurança nacional de Hong Kong, que tornou efetivamente impossível às organizações de direitos humanos em Hong Kong trabalhar livremente e sem medo de represálias graves por parte do Governo”, indicou a presidente do Conselho Internacional da Amnistia, Anjhula Mya Singh Bais, citada no comunicado.

“Hong Kong tem sido desde há muito uma base regional ideal para as organizações internacionais da sociedade civil, mas a recente focalização nos grupos locais de direitos humanos e sindicais assinala uma intensificação da campanha das autoridades para livrar a cidade de todas as vozes dissidentes. É cada vez mais difícil para nós continuarmos a operar num ambiente tão instável”, salientou.

Leia mais em Jornal de Notícias

Assine nossa Newsletter