Mianmar libertará 5000 manifestantes presos desde golpe de Estado

Mianmar libertará mais de 5.000 manifestantes presos desde o golpe de Estado

Mianmar vai libertar mais de 5.000 pessoas detidas por protestar contra o golpe de Estado das Forças Armadas em fevereiro, anunciou nesta segunda-feira (18) o comandante da junta militar.

Um total de 5.636 prisioneiros receberão indulto e serão libertados antes do festival das luzes ‘Thadingyut‘, que começa na terça-feira, afirmou o general Min Aung Hlaing, poucos dias depois de ser excluído da próxima reunião de cúpula da Associação de Nações do Sudeste Asiático (ASEAN).

Mianmar vive um cenário de caos desde o golpe de Estado que derrubou o governo civil de Aung San Suu Kyi.

Desde então, mais de 1.100 civis morreram na violenta repressão contra os dissidentes e mais de 8.000 pessoas foram detidas, segundo a ONG local Associação de Assistência aos Presos Políticos (AAPP).

De acordo com a organização, mais de 7.300 pessoas estão presas atualmente no país.

A junta militar não revelou detalhes sobre as pessoas que serão libertadas e as autoridades penitenciárias, procuradas pela AFP, não responderam os questionamentos.

Assine nossa Newsletter