Taiwan denuncia incursão recorde de aviões chineses no seu espaço aéreo

Taiwan denuncia incursão recorde de aviões chineses no seu espaço aéreo

O Governo de Taiwan denunciou hoje que um recorde de 56 aviões do exército chinês sobrevoaram hoje o seu espaço aéreo, um dia depois dos Estados Unidos terem classificado de “provocações militares” as ações de Pequim quanto àquela ilha

Depois do Ministério da Defesa taiwanês ter apurado que 36 caças, 12 bombardeiros H-6 com capacidade nuclear e mais oito aviões chineses entraram por sudoeste num espaço aéreo em que tem de localizar aeronaves por razões de segurança nacional, o Conselho de Assuntos do Continente, órgão com maior responsabilidade política nas relações com a China, acusou o país vizinho de “minar seriamente o status quo” no estreito de Taiwan.

“Exigimos que as autoridades em Pequim parem imediatamente com as suas ações provocadoras, não pacíficas e irresponsáveis”, referiu o porta-voz Chiu Chui-cheng em comunicado, tendo prometido que Taiwan “nunca vai ceder” às ameaças.

Já o porta-voz do Departamento de Estado dos EUA, Ned Price, realçou que os Estados Unidos estão “muito preocupados” com a “provocações” de Pequim, já que as incursões de aviões no espaço aéreo taiwanês são “desestabilizadoras” e “minam a paz e a segurança regional”.

“Instamos Pequim a cessar suas pressões militares, diplomáticas e económicas, bem como a sua coerção contra Taiwan”, acrescentou, reafirmando o “compromisso inabalável” de Washington para com o seu aliado.

Na resposta, o Ministério dos Negócios Estrangeiros da China acusou Washington de enviar “um sinal extremamente errático e irresponsável” devido a ações que também considera “provocadoras”, nomeadamente a venda de armas a Taipé e o envio de navios de guerra para o estreito de Taiwan.

“Os Estados Unidos devem retificar os seus erros, respeitar o ‘princípio único da China’ (…), lidar com a questão de Taiwan de forma cuidadosa e adequada e parar de apoiar as forças separatistas de Taiwan”, disse a porta-voz do Ministério, Hua Chunying.

Na sexta-feira, dia em que se assinalou o 72.º aniversário da proclamação da República Popular da China, a Força Aérea chinesa sobrevoou o espaço aéreo de Taiwan com um recorde até à data de 38 aviões, número que subiu para 39 no sábado, informou o Ministério da Defesa de Taiwan.

Em 2020, 380 aviões da Força Aérea chinesa foram detetados no espaço aéreo de Taiwan, mas o número já subiu para 600 em 2021.

Related posts
ChinaMacau

Macau defende constituição de conselhos de defesa da segurança nacional

ChinaPolítica

Washington quer reforçar posição militar contra China e Rússia

MundoPolítica

Ucrânia teme invasão e pede ação rápida para 'travar' a Rússia

Opinião

Provocar o tigre

Assine nossa Newsletter