Estudo aponta eficácia da Pfizer contra formas graves da Covid por ao menos seis meses

Estudo aponta eficácia da Pfizer contra formas graves da Covid por ao menos seis meses

Duas doses da vacina Pfizer/BioNTech são eficazes na prevenção da hospitalização por todas as variantes do novo coronavírus pelo menos por seis meses, destaca um estudo publicado nesta terça-feira na revista “The Lancet”

O estudo realizado pela Pfizer e a organização americana Kaiser Permanente analisou dados médicos de 3,4 milhões de pessoas no sul do estado da Califórnia entre 4 de dezembro e 8 de agosto, e determinou que a eficácia da vacina contra os riscos de infecção diminui ao longo do tempo, de 88% no mês seguinte à segunda dose, para 44% após seis meses. A vacina, por sua vez, mantém sua eficácia de 90% contra os riscos de hospitalização por Covid-19 pelo menos por seis meses.

Os dados confirmam os resultados de estimativas anteriores do Centros para o Controle e Prevenção de Doenças (CDC), principal agência federal de saúde pública dos Estados Unidos, e do Ministério da Saúde de Israel, informou a The Lancet.

“O nosso estudo confirma que as vacinas são uma ferramenta central para controlar a epidemia, e são extremamente eficazes na prevenção de formas graves e hospitalizações, inclusive contra a delta e outras variantes preocupantes”, resumiu Sara Tartof, principal autora do estudo.

Luis Jodar, vice-presidente e diretor médico da Pfizer, acrescentou que “uma análise específica das variantes mostra claramente que a vacina é eficaz contra todos os tipos”.

Related posts
MundoSociedade

Nova variante da Covid é detetada na África do Sul

MoçambiqueMundo

Serviços de saúde em Moçambique recusam grávidas em fuga

MacauSociedade

Saúde de Macau rejeita vacinação ou teste obrigatório em crianças

MundoPolítica

Primeiro-ministro francês dá positivo ao novo coronavirus

Assine nossa Newsletter