Campo de refugiados na ilha de Samos atingido por incêndios

Campo de refugiados na ilha de Samos atingido por incêndios

Um incêndio de grandes proporções deflagrou ontem à tarde no campo de refugiados de Vathy, na ilha grega de Samos, mas foi controlado ao início da noite, anunciou o Ministério das Migrações grego

O campo de refugiados na ilha de Samos foi atingido por incêndios, mas “não há perigo para aqueles que ainda lá se encontram, porque o fogo começou nuns barracões abandonados na parte ocidental do campo”, acrescentou o ministério em comunicado.

Pouco antes, o presidente da câmara de Samos, Girgos Stantzos, indicara que o campo, que deverá ser desmantelado no fim do mês, tinha sido totalmente evacuado dos seus ocupantes, encontrando-se muitos migrantes concentrados num parque de estacionamento nas suas imediações.

Segundo o ministério, todos os requerentes de asilo foram transportados para esse terreno vazio perto da entrada do campo e serão transferidos na segunda-feira para uma nova estrutura inaugurada no sábado.

Dez menores não-acompanhados foram levados hoje à tarde para o novo campo, de acordo com a mesma fonte.

Na ilha de Samos, no mar Egeu, em frente à Turquia, o campo de Vathy albergou quase 7.000 requerentes de asilo entre 2015 e 2016, quando a sua capacidade inicial era de 680 pessoas.

Cerca de 300 pessoas ainda ali viviam este fim de semana, em condições insalubres, e aceitaram ser transferidas para um novo centro de receção e acolhimento “controlado e fechado”, onde deverão apresentar-se na segunda-feira, segundo o Ministério das Migrações grego.

Com arame farpado, ‘scanners’ de raios X e portas magnéticas, o novo campo “de acesso controlado e fechado” para migrantes, o primeiro de uma “nova geração”, foi inaugurado no sábado em Samos.

As organizações humanitárias denunciaram o caráter fechado do novo campo, onde os migrantes só serão autorizados a sair durante o dia, munidos de crachás eletrónicos, e onde está prevista a existência de um centro de retenção para aqueles a quem foi negado o direito de asilo.

O campo de Vathy era há muito criticado pelas suas condições insalubres às portas da principal cidade da ilha.

Há um ano, o campo de Moria, na ilha grega de Lesbos, igualmente criticado pela sua insalubridade, foi reduzido a cinzas em dois incêndios sucessivos, deixando cerca de 13.000 migrantes sem abrigo durante vários dias.

Related posts
MundoPolítica

Canadá vai passar a receber e integrar refugiados norte-coreanos

Mundo

Incêndio em cargueiro lança gás tóxico na costa do Pacífico

MundoSociedade

Bombeiros lutam para proteger as enormes sequoias das chamas na Califórnia

Sociedade

Sequoias gigantes envoltas em alumínio devido aos incêndios

Assine nossa Newsletter