Um terço das crianças na América Latina está acima do peso

Um terço das crianças na América Latina está acima do peso

Três em cada dez crianças e adolescentes vivem com excesso de peso na América Latina e no Caribe. Uma crise gerada pela pandemia que ameaça piorar a dieta alimentar de menores, alertou o Unicef ontem

“Nos últimos anos, cada vez mais crianças e adolescentes estão com sobrepeso na América Latina e no Caribe”, revelou o Unicef em um comunicado.

“Atualmente, estima-se que pelo menos 3 em cada 10 crianças“ entre 5 e 19 anos “estão acima do peso na região”, acrescentou o Unicef, que na América Latina e Caribe tem sede no Panamá.

Segundo a agência das Nações Unidas, as causas da obesidade infantil são produzidas pela falta de atividade física e pelo consumo de alimentos ultraprocessados e bebidas açucaradas, de fácil acesso, baixo custo e bastante divulgados na mídia de massa.

O Unicef também alerta que durante a pandemia o problema se intensificou com o acesso limitado a alimentos saudáveis e menor poder de compra.

“Durante este ano e meio de pandemia, foi muito mais difícil para as famílias ter acesso a uma alimentação saudável. As mães e os pais perderam sua renda e os preços dos alimentos aumentaram”, analisou Jean Gough, diretor do Unicef para a América Latina e o Caribe.

“Além disso, com o fechamento das escolas, muitas crianças deixaram de receber merenda escolar e as opções e espaços para atividades físicas eram limitados. Antes da covid-19, prevenir a obesidade era essencial e agora é mais urgente do que nunca”, acrescentou.

O Unicef exortou os países da região a fortalecer e implementar leis e marcos regulatórios para garantir a qualidade dos alimentos nos lares e nas escolas.

O fundo também pediu o incentivo à recuperação dos programas de alimentação escolar, o acesso a alimentos mais saudáveis para as famílias e a promoção de mais espaços e iniciativas de atividade física.

“O contexto de covid-19 representa uma janela de oportunidade para prevenir o excesso de peso desde a primeira infância e ao longo da vida. Hoje é possível que todas as crianças da América Latina e do Caribe cresçam com alimentos saudáveis, mas somente se unirmos forças”, afirmou Gough.

Related posts
MacauSociedade

Cuidados de saúde em Macau no ano de 2021 foram prestados por clínicas privadas 

MacauSociedade

Definidas regras para três dias de quarentena domiciliária com código a vermelho

LifestylePortugal

Crise económica agrava acesso a tratamentos de fertilidade

ChinaGuiné-Bissau

Missões médicas chinesas chegam a Moçambique e Guiné-Bissau

Assine nossa Newsletter