Covid-19: Mais de metade da população de Macau já foi testada - Plataforma Media

Covid-19: Mais de metade da população de Macau já foi testada

O Governo decidiu efetuar testes de ácido nucleico a toda a população, após terem sido confirmados quatro casos positivos de Covid-19. Uma família de residentes locais (pai, mãe e dois filhos), que foram confirmados com a nova variante Delta. Macau encontra-se agora em estado de prevenção imediata.  

Até às 4h da tarde de quinta-feira, mais de metade da população já foi testada (530 mil) e todos os resultados recebidos deram negativo (210 mil), de acordo com os dados fornecidos pelos Serviços de Saúde. Mais de 900 pessoas estão sob observação médica por serem contactos próximos ou secundários dos membros da família infetada, de acordo com Leong Iek Hou, Coordenadora do Núcleo de Prevenção e Doenças Infecciosas e Vigilância da Doença. 

Ho Iat Seng pediu desculpa 

A testagem em massa da população iniciou-se às 9h da manhã de quarta-feira (4), podendo ser realizados até sábado (7). Se não for cumprido neste período de tempo, o código de saúde passará a amarelo, não podendo entrar em certos estabelecimentos ou transportes públicos. Macau apresenta 42 locais para testagem. Por consequência, a vacinação foi suspensa na RAEM. 

Inicialmente, o governo permitiu que as pessoas que não fizessem marcações prévias fossem a estações de teste, no entanto, o código de saúde e o sistema de marcações entraram em colapso logo na manhã de quarta-feira, resultando em longas filas e condições caóticas em várias estações.  

O Chefe do Executivo de Macau, Ho Iat Seng, em conferência de imprensa, pediu desculpa pelos inconvenientes causados por problemas no sistema. Explicou ainda que, na madrugada de quarta-feira, Zhuhai avisou as autoridades de Macau que as pessoas precisariam de um resultado negativo de 12 horas para atravessar a fronteira Macau-Zhuhai. Como tal, o sistema teve de ser alterado e levou ao mau funcionamento. 

Residentes criticam falta de mão-de-obra nas estações de testagem 

Alguns residentes queixaram-se de terem feito marcação prévias e de esperarem mais de sete horas para fazer o teste. Caso da Sra. Wong, que teve mais de cinco horas no Centro de Actividades Comunitárias, no Edifício do Bairro da Ilha Verde, para completar o teste de ácido nucleico. Ao PLATAFORMA, disse que a empresa só permitiu aos trabalhadores realizar os testes depois do almoço, “que são as horas de ponta”. “Durante o período de espera, muitas pessoas queixaram-se da velocidade de inspeção. É demasiado lenta. Existem cinco pontos de inspeção na estação, mas apenas quatro estão a funcionar”, referiu. 

Embora os locais de teste designados estejam abertos 24 horas por dia, um grande número de residentes, incluindo idosos, grávidas e crianças, fizeram fila fora dos locais, à chuva. Alguns cidadãos chegaram mesmo a informar que apenas uma pessoa estava responsável pela testagem em algumas estações de inspeção. A DSEDJ até recrutou jovens voluntários para ajudar no fluxo de pessoas e materiais nas estações de inspeção, evidenciando a grave escassez de recursos humanos.    

O Governo da RAEM já solicitou o apoio do Governo Provincial de Guangdong. Os 300 inspetores organizados pela província de Guangdong chegaram no dia 5 a Macau e foram enviados para várias estações de testes de ácido nucleico para ajudar no trabalho. 

 “A primeira infetada foi a filha” 

Alvis Lo, diretor dos Serviços de Saúde, revelou na terça-feira, em conferência de imprensa, que “a primeira infetada foi a filha”, de 12 anos. De 19 a 24 de julho, efetuou uma visita de estudo a Xiam. No dia 28 de julho, o irmão acusou indisposição. O pai, motorista dos Serviços de Saúde, começou a ter dores de garganta a 1 de agosto e a mãe, que trabalha numa loja de frutas, também teve sintomas semelhantes”. 

Ho Iat Seng disse que, se a origem da pandemia estiver de acordo com a previsão, foi através dos voos feitos pelo grupo da visita de estudo e não por transmissão local não identificada. O Chefe do Exceutivo espera que haja uma hipótese de voltar ao normal dentro de 14 dias. 

Até à data de publicação desta edição, 18 alunos e o guia turístico do grupo que se deslocou a Xiam estão em Macau e obtiveram resultados negativos nos testes de ácido nucleico. Além deste grupo e das pessoas que residem nos prédios onde mora a família que ficou infetada, mais 80 pessoas vão ser submetidas a quarentena, por serem considerados contactos próximo do outro filho, que foi diagnosticado na terça-feira com o vírus. O Centro de Coordenação de Contingência do Novo Tipo de Coronavírus diz que “o menino deslocou-se à Urgência do Centro Hospitalar Conde de S. Januário para recorrer ao médico, e, naquela altura, o médico responsável não lhe realizou o teste de ácido nucleico”. As autoridades estão a avaliar a conduta do médico. 

As autoridades de Macau foram informadas dos testes positivos, na manhã de terça-feira, pelos serviços de saúde de Zhuhai, o que levou à adoção imediata de várias medidas, como o encerramento da sala de trabalho do motorista, a loja de venda de frutas e o domicílio. 

Desde a manhã de terça-feira que estão a ser desenvolvidos trabalhos de desinfeção, como disse na conferência de imprensa a vice-presidente do Instituto dos Assuntos Municipais (IAM), O Lam. “Estamos a implementar e a reforçar os trabalhos de desinfeção nas vias públicas, nas fronteiras e nas paragens de autocarro”, notou. 

Entretanto, a adoção das medidas para enfrentar a situação provocada pelos casos positivos, levou a que muitos residentes tenham procurado abastecer-se nos supermercados e lojas. Nos postos fronteiriços registou-se grande afluência, o mesmo sucedendo nos postos de vacinação e de realização de testes de ácido nucleico.  

Zonas Vermelhas e Amarelas: 

As chamadas zonas vermelhas são uma das medidas adotadas para procurar enfrentar a situação provocada pelos quatro casos positivos. Alvis Lo esclareceu como vão ser determinadas: “Vamos determinar uma zona de código vermelho que envolve prédios e moradias, e todas as pessoas desses prédios serão submetidas a testes de ácido nucleico. Antes de decretar esta medida, não poderão sair do prédio. Quantos testes é que teremos de efetuar? Vai depender do que apurarmos”, frisou. 

O diretor dos Serviços de Saúde tranquilizou a população, garantindo que há planos de contingência delineados e que os serviços estão preparados para dar uma resposta. “Desde o início da pandemia, que a situação em Macau tem sido estável. No entanto, temos planos preparados para situações graves. Neste caso, se envolver mais pessoas, já há planos. A pandemia é assim: hoje não temos nada, mas amanhã podemos ter. Temos planos de contingência preparados e temos reforçado esta preparação”, reforçou. 

Quanto à situação do momento, Alvis Lo esclareceu: “Segundo a nossa avaliação, e de acordo com as pessoas que tiveram contacto próximo com esta família – e se houver casos entre essas pessoas – nós temos confiança de que podemos prestar bons serviços médicos”, assegurou. 

Estão isoladas em casa as 160 pessoas residentes nos 33 apartamentos do edifício onde mora a família que foi confirmada como infetada com o novo coronavírus, e nos prédios adjacentes. 

As autoridades têm uma zona circunscrita que vai da Rotunda do Almirante Costa Cabral junto à entrada nova do Kiang Wu, segue pela Rua de Tomás Vieira até quase ao Jardim Luís de Camões, e depois pela Rua de Coelho do Amaral até ao cruzamento da sede do Corpo de Bombeiros. 

Os veículos não podem circular nessas vias, e mesmo quem vai a pé é questionado pela polícia, sendo que também é considerada zona amarela a Rua da Emenda até à Avenida Horta e Costa, próximo do Mercado Vermelho. 

O Sr. Lo, que vive na Rua de Coelho do Amaral, conta ao PLATAFORMA que a disposição das autoridades é caótica. E, para bem dos colegas, iria tirar uma licença sem vencimento e não regressaria para já. “Os meus colegas sabem que eu vivo perto da zona vermelha. Não seria prudente voltar à empresa agora”. 

As pessoas isoladas na zona vermelha receberam alimentos e o IAM disponibilizou-lhes todos os bens essenciais, tendo pessoal da saúde recolhido amostras no local, que foi depois desinfetado pelo Instituto. Os técnicos não entraram nos apartamentos, mas se forem detetados indícios vão então verificar as condições e inspecionar até os esgotos. 

As autoridades aconselham a população a não se deslocar para fora da RAEM, exceto em casos de extrema necessidade. 

A partir da meia-noite de quinta-feira, serão encerrados vários espaços, como cinemas, salões de beleza ou discotecas. Ho Iat Seng enfatizou que os quatro casos confirmados não foram infetados em casinos, portanto estes não serão encerrados, por enquanto.  

Este artigo está disponível em: 繁體中文

Related posts
MacauTransportes

Recuperação de passageiros no aeroporto de Macau só em 2024

MacauPortugal

Quarentena de 21 dias mantém-se para quem vem de Portugal

MacauPolítica

Fronteiras: Macau tem um longo caminho pela frente

MacauSociedade

Marcações disponíveis no Hotel Tesouro para quem vem da Europa

Assine nossa Newsletter