Pilar económico é maior desafio à adesão à ASEAN - Plataforma Media

Pilar económico é maior desafio à adesão à ASEAN

O pilar de integração económica é atualmente o maior desafio na adesão de Timor-Leste à Associação de Nações do Sudeste Asiático (ASEAN), não havendo qualquer obstáculo político dos Estados-membros ao processo, disse hoje a ministra dos Negócios Estrangeiros timorense

“Não há objeções de nenhum país à adesão de Timor-Leste [à Associação de Nações do Sudeste Asiático, ASEAN] e não vemos grandes desafios em termos de política, segurança e do pilar sociocultural”, afirmou Adaljiza Magno.

“Apesar disso, Timor-Leste sabe que a ASEAN se transformou num forte bloco regional e que o pilar económico é agora o mais complexo”, referiu, na Reunião dos Parceiros de Desenvolvimento de Timor-Leste (RPDTL), aos quais pediu apoio para os esforços do país na concretização da adesão à ASEAN, processo que exige a implementação de vários passos.

“Peço-vos a todos apoio nesta iniciativa e neste esforço nacional”, disse.

A chefe da diplomacia timorense reiterou o empenho de Timor-Leste em concretizar o processo de adesão à ASEAN, considerando que o futuro do país depende, também, do “êxito dos esforços constantes de integração regional”.

A adesão representa um dos principais objetivos diplomáticos e vai ajudar “a consolidar a segurança e estabilidade de Timor-Leste e a expansão de oportunidades de negócios e de cooperação” com a região onde está geograficamente inserido.

Um processo em que Timor-Leste quer também contribuir para “reforçar o desenvolvimento da democracia, dos direitos humanos, da promoção do progresso social e económico, e criar condições favoráveis ao diálogo genuíno entre os membros”.

Magno disse que o impacto da adesão na questão da segurança e estabilidade beneficia tanto Timor-Leste como os Estados-membros da ASEAN.

“A integração económica é uma das formas de diversificar a economia, aumentando a capacidade doméstica para facilitar o comércio e atrair mais investimento externo. A ASEAN já é o maior parceiro de Timor-Leste e a integração acelerará o interesse de investidores na região em setores produtivos da economia timorense, onde há oportunidades de crescimento rápido”, considerou.

O país “pode e deve ter um papel construtivo em responder a questões como degradação ambiental, crime transnacional, a questão do género, crises humanitárias e desastres naturais”, apontou.

No intuito de avaliar o processo de adesão, que decorre em paralelo com o processo de adesão à Organização Mundial de Comércio (OMC), bem como os passos são necessários, Timor-Leste preparou com o Banco Asiático de Desenvolvimento (BAD) um relatório de apoio necessário a reforço das capacidades timorenses.

Related posts
MundoPolítica

Adesão dos Estados dos Balcãs à UE é de "interesse estratégico" mútuo

ChinaEconomia

18ª Expo China-ASEAN é inaugurada no sul da China

LusofoniaMacau

Secretariado do Fórum recomenda adesão da Guiné Equatorial

Política

Comité Permanente da Assembleia Popular Nacional decide aderir ao Tratado sobre Comércio de Armas

Assine nossa Newsletter