China deve continuar a registar queda de nascimentos - Plataforma Media

China deve continuar a registar queda de nascimentos

Apesar da permissão para ter um terceiro filho, as famílias chinesas continuam a registar fracos índices de nascimentos. Os receios sobre o envelhecimento da população acentuam-se, enquanto o Governo implementa medidas para facilitar a educação das crianças e proteger os empregos das mulheres

O número de nascimentos na China vai continuar a cair em 2021, estimaram ontem as autoridades, apesar de Pequim ter passado a permitir que as famílias tenham um terceiro filho, o que vai acelerar o envelhecimento da população.

O Comité Central do Partido Comunista da China (PCC) e o Conselho de Estado chinês anunciaram ainda que as famílias com mais de três filhos não vão ser multadas, ao contrário do que acontecia no passado, quando os casais tinham mais de um filho.

A China praticou a política “um casal, um filho” entre 1979 e 2015. Nos últimos anos passou a permitir dois filhos por casal, mas acabou por subir o limite para três, este ano, devido à baixa taxa de natalidade.

O vice-director da Comissão Nacional de Saúde, Yu Xuejun, garantiu, em conferência de imprensa, que as novas políticas visam “evitar uma queda ainda maior do número de nascimentos” nos próximos anos.

Leia mais em Hoje Macau

Related posts
EconomiaMacau

Taxa de ocupação hoteleira em Macau cai 37,6% em agosto

Macau

Receitas caíram quase 80 por cento em 2020

ChinaEconomia

Setor manufatureiro da China cresce ao ritmo mais lento desde maio de 2020

ChinaSociedade

China: Crescimento populacional quase nulo nos últimos 10 anos

Assine nossa Newsletter