Artistas populares expressam apoio aos manifestantes em Cuba

Artistas populares expressam apoio aos manifestantes em Cuba

Artistas populares cubanos, como os integrantes da orquestra Los Van Van e o pianista Chucho Valdés, expressaram ontem o seu apoio às manifestações contra o governo que ocorreram no domingo e na segunda-feira na ilha, assim como seu repúdio à repressão policial

Os protestos, duramente reprimidos pela polícia ou por partidários do governo, deixaram um saldo de um morto, vários feridos e mais de cem pessoas detidas.

Samuel Formell, diretor da famosa orquestra Los Van Van, conhecida como “o trem da música cubana”, expressou com seus músicos o respaldo aos manifestantes.

“Apoiamos os milhares de cubanos que exigem seus direitos, devemos ser escutados, digamos não à violência, fazemos um pedido pela paz em nossas ruas”, escreveu no Facebook.

“Estou muito triste com o que está sofrendo meu povo, inclusive minha família, dói muito ver as condições subumanas em que vivem muitos cubanos”, disse o pianista e compositor Jesús “Chucho” Valdés, também em sua conta no Facebook.

“Nunca imaginei que as forças da ordem em Cuba atacariam pessoas comuns e pacíficas como nós, cubanos”, declarou o compositor e violonista Leo Brouwer na mesma rede social.

O músico deixou sua mensagem em uma nota escrita de seu próprio punho, cuja foto postou em sua conta.

“Estou magoado com os golpes e as imagens que vejo da violência contra um povo que sai às ruas para expressar o que sente de forma pacífica”, disse o “Caballero del Son”, Adalberto Álvarez, também no Facebook.

Para Alvarez, “além do pensamento político está o direito humano”, em referência aos abusos registrados nos protestos que começaram no domingo na pequena cidade de San Antonio de los Baños, a 30 quilômetros de Havana, e foram replicados em quarenta cidades da ilha.

As manifestações inéditas, que degeneraram em confrontos com as forças da ordem, são alimentadas pela crise econômica que abala o país.

A cantora Haydee Milanés, filha de Pablo Milanés, um dos principais expoentes da Nueva Trova Cubana, afirmou que “o povo cubano se expressou e saiu às ruas pacificamente com suas reivindicações. O governo tem a obrigação de ouvi-los.”

“É inadmissível que as autoridades convoquem um confronto entre cubanos”, acrescentou.

Related posts
Moçambique

Coreia apoia pequenos agricultores do centro de Moçambique com 4,8 ME

BrasilPolítica

Manifestantes furam bloqueio policial antes de atos pró-Bolsonaro em Brasília

CulturaMacau

Thetiredeyes, a banda que mistura diversos contextos musicais

CulturaMacau

Festa no LMA presta homenagem a Lee ‘Scratch’ Perry

Assine nossa Newsletter