Catherine Deneuve reaparece num drama de muitas emoções

Catherine Deneuve reaparece num drama de muitas emoções

De Son Vivant, o filme em cuja rodagem, em 2019, Catherine Deneuve sofreu um acidente vascular, foi mostrado extracompetição

Perante os filmes que tem sido possível descobrir na 74.ª edição de Cannes (a decorrer até dia 17), não será exagero dizer que este tem sido um festival de muitos e bons atores – em particular no interior da produção francesa. Revendo os títulos já mostrados, penso, por exemplo, em Sophie Marceau e André Dusssolier, em Tout S”est Bien Passé, de François Ozon, ou Valeria Bruni Tedeschi e Marina Foïs, em La Fracture, de Catherine Corsini.

Agora é tempo de falarmos de De Son Vivant, de Emmanuelle Bercot, apresentado extraconcurso. Os nomes em destaque são Benoît Magimel e Catherine Deneuve: ele no papel de um professor de arte dramática que, ainda antes dos 40 anos, é atingido por um cancro no pâncreas; ela, a mãe, acompanhando o sofrimento do filho, lidando com o inaceitável.

Não será fácil dar conta da subtil teia emocional de um filme obviamente muito pensado e sentido (a realizadora assina também o argumento, em colaboração com Marcia Romano). Até porque, convém não esquecer, hoje em dia há toda uma mediatização do sofrimento, quotidiana, agressiva e obscena, que vive de grandes “verdades” abstratas, no fundo menosprezando as singularidades de cada ser humano. Bercot consegue colocar em cena o trabalho médico e as convulsões familiares sem nunca desvalorizar tais singularidades.

Verdadeiro “ator de composição”, Magimel é admirável, representando um misto de raiva e introspeção, desse modo confirmando também as muitas nuances dos seus recursos – para nos ficarmos por uma referência exemplar da sua filmografia, recordemos o seu confronto com Isabelle Huppert em A Pianista (2001), de Michael Haneke.

Quanto a Deneuve, importa lembrar que foi precisamente durante a rodagem de De Son Vivant, em novembro de 2019, que ela sofreu um acidente vascular que se veio a revelar “muito limitado e reversível”, ainda que a rodagem tivesse que ser, naturalmente, interrompida.

Leia mais em Diário de Notícias

Related posts
CulturaPortugal

Filme português "Diários de Otsoga” no Festival de Cinema de Londres

Cultura

Cineasta francesa Audrey Diwan vence Leão de Ouro de Veneza

CulturaEntrevista

'A pandemia estimulou a criatividade', afirma diretor do Festival de Veneza

CulturaMacau

‘A Lenda do Grande Prémio de Macau’ nomeado para óscares do automobilismo

Assine nossa Newsletter