Covid-19: Bolsonaro diz que infeção é mais eficaz do que vacina contra o vírus - Plataforma Media

Covid-19: Bolsonaro diz que infeção é mais eficaz do que vacina contra o vírus

O Presidente brasileiro afirmou na quinta-feira, perante milhares de espetadores, que a infeção pelo novo coronavírus confere uma imunização mais eficaz do que a vacina e que “todos os que contraíram o vírus estão vacinados”.

“Eu já me considero — eu não me considero não, eu estou — vacinado, entre aspas. Todos os que contraíram o vírus estão vacinados, até de forma mais eficaz do que [com] a própria vacina. Então, quem contraiu o vírus, não se discute, esse está imunizado”, afirmou Jair Bolsonaro, durante a sua habitual transmissão em direto em vídeo na rede social Facebook.

Bolsonaro, um dos chefes de Estado mais céticos em relação à gravidade da pandemia, chegou a criticar publicamente vacinas contra a doença.

Na sua transmissão em vídeo, o Presidente, que chegou a classificar a covid-19 de “gripezinha”, voltou a criticar o uso obrigatório de máscara para conter a propagação do vírus e afirmou que a utilização do equipamento de proteção dentro de veículos fechados pode causar acidentes.

“Tem médico aqui? O CO2 não leva ao sono? Não ajuda você ficar com sono? É que o cara [cidadão] está com a máscara, carro fechado, ele respirando ali, vai ter uma oxigenação menor no seu corpo, não precisa ser médico para dizer isso aí. Isso pode levar a acidentes”, avaliou o mandatário, sem fornecer qualquer prova ou estudo sobre o tema.

“Recomendei um estudo para o ministro Queiroga, da Saúde, para desobrigar a usar máscara quem, por ventura, já tenha sido infetado ou vacinado. Quem está contra (essa medida) é negacionista, porque não acredita na vacina”, sustentou.

Bolsonaro, que já foi infetado pela covid-19, não costuma usar máscara em eventos públicos, embora isso acarrete multas, como já aconteceu em algumas regiões.

Além disso, o Presidente, que também se opõe ao isolamento social para controlar a disseminação do vírus, tem criticado o uso de máscara praticamente desde o início da pandemia.

No final de fevereiro, Bolsonaro causou polémica ao dizer que as máscaras de prevenção contra a covid-19 causam “efeitos colaterais”.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) recomenda o “uso generalizado de máscaras” como parte de uma estratégia abrangente para suprimir a transmissão do novo coronavírus.

Na quinta-feira, Jair Bolsonaro voltou a defender a ampliação do armamento no Brasil e relacionou essa proposta com a desobrigação do uso de máscaras contra a covid-19.

“Enquanto eu for Presidente, nós vamos lutar para que o cidadão de bem tenha armas e seja desobrigado de usar mascaras”, reforçou, num momento em que especialistas preveem uma terceira vaga da pandemia no país.

“Eu não durmo sem uma arma do lado. (…) Arma é vida”, defendeu.

O Brasil continua a ser um dos países mais afetados do mundo pela pandemia, totalizando 496.004 óbitos e 17,7 milhões de infeções.

A pandemia de covid-19 provocou, pelo menos, 3.835.238 mortos no mundo, resultantes de mais de 176,9 milhões de casos de infeção, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Related posts
BrasilSociedade

Brasil bate recorde de contágios diários de covid, com 137.103 casos

BrasilSociedade

Brasil ultrapassa marca de 23 milhões de casos de infeção de Covid

BrasilPolítica

Bolsonaro publica vídeo com ataques a Lula antes da campanha

BrasilSociedade

Brasil desiste de exigir receita médica para vacinar crianças

Assine nossa Newsletter