TVs, telemóveis e tablets no quarto das crianças prejudicam o sono, diz estudo

TVs, telemóveis e tablets no quarto das crianças prejudicam o sono, diz estudo

Investigação na qual foram analisados dados mais de oito mil crianças portuguesas, com idades dos três aos 10 anos, de escolas públicas e privadas das cidades do Porto. São os mais pobres que colocam televisões, computador, ‘tablet’ e outros dispositivos nos quartos dos mais pequenos

A presença de dispositivos eletrónicos no quarto das crianças predomina nas famílias desfavorecidas e prejudica o sono e a saúde dos utilizadores, segundo um estudo divulgado pela Universidade de Coimbra (UC).

Embora a televisão, o computador, o ‘tablet’ e outros dispositivos “sejam mais prevalentes nas casas de famílias portuguesas com maior estatuto socioeconómico, a disponibilidade desses equipamentos no quarto da criança é mais comum em famílias mais desfavorecidas, com impactos negativos no sono”, alertam investigadores da UC.

“Este paradoxo pode refletir fatores sociais e ambientais, ao invés de financeiros”, refere a instituição, em comunicado enviado à agência Lusa.

O estudo foi realizado por uma equipa do Centro de Investigação em Antropologia e Saúde (CIAS) da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra (FCTUC), e as suas conclusões publicadas na revista científica europeia “Sleep Medicine”.

“Uma explicação avançada no artigo científico é a possibilidade de as famílias de baixo estatuto socioeconómico terem menos conhecimento sobre os problemas de saúde associados ao uso excessivo de dispositivos com ecrã, menos tempo para supervisionar seus filhos ou menos oportunidades de envolvê-los em atividades extracurriculares”, segundo a nota.

O trabalho teve por objetivo “identificar a disponibilidade de diferentes dispositivos eletrónicos (…) em casa e no quarto das crianças portuguesas de acordo com a condição socioeconómica, de modo a analisar as associações entre essa disponibilidade e o tempo de ecrã e o sono das crianças” ao longo da semana e no fim de semana.

Leia mais em Delas

Related posts
EconomiaMacau

Falta plano a longo prazo para turismo inteligente

MundoSociedade

Aquecimento rápido do Ártico causa frios extremos nos EUA e na Ásia

MacauSociedade

Estudo conclui que nova geração de Macaenses assume naturalmente mistura racial

Portugal

Pós-Covid: o que querem os clientes, o que atrai talento e até a gestão de risco

Assine nossa Newsletter