Inglaterra sonha conquistar o seu primeiro Europeu em 'casa'

Inglaterra sonha conquistar o seu primeiro Europeu em ‘casa’

Com os jogos da primeira fase, uma possível oitava de final, as semifinais e final em Wembley, a Inglaterra tem a chance de ouro de conquistar o seu primeiro Europeu (de 11 de junho a 11 de julho) em casa, com uma geração talentosa, principalmente no ataque

Depois de quatro anos no comando da seleção inglesa, Gareth Southgate vê Raheem Sterling, Marcus Rashford e Harry Kane amadurecerem, impulsionados pela nova geração representada por Jadon Sancho, Phil Foden, Mason Mount e Jude Bellingham… 

Com uma média de idade de 25 anos e três meses, a Inglaterra será uma das equipes mais jovens da competição. Mas com 11 jogadores envolvidos nas duas finais europeias (Champions League e Liga Europa), não terá o problema da falta da experiência no mais alto nível.

Muitos foram longe na seleção, até a semifinal perdida na prorrogação contra a Croácia (2-1) e na Liga das Nações no ano seguinte contra a Holanda (3-1 após prorrogação). 

Alguns vão lembrar da Eurocopa de 1996, organizada na Inglaterra e na qual a seleção anfitriã perdeu nas semifinais para a Alemanha nos pênaltis. Autor da 11ª cobrança, defendida pelo goleiro, deixando para Andreas Möller converter a sua, Southgate não tem boas recordações. 

Mas também há quem cite a Copa do Mundo de 1966, sediada e conquistada pela Inglaterra após vencer os próprios alemães na final em Wembley (4-2) e que continua sendo até hoje o único grande título de nível internacional.

Evitar cansaço e pressão

A Inglaterra terá que administrar a recuperação de alguns jogadores importantes, como Harry Maguire e Jordan Henderson, que entram na competição após superar lesões. 

O setor defensivo também suscita dúvidas, apesar de John Stones ter recuperado sua posição de titular no Manchester City e ter jogado em bom nível. 

E depois há a pressão de um país que ama ou odeia a sua seleção. 

“Não estamos alheios a esta questão, devemos corresponder às expectativas”, reconheceu Southgate, admitindo que não chegar às semifinais seria visto “provavelmente” como um fracasso.

“Estamos prontos para vencer? Chegamos às semifinais duas vezes, então a próxima etapa é tentar ir mais longe”, acrescentou. 

Para evitar surpresas, a Inglaterra não pode falhar na primeira fase, garantindo a primeira vaga que lhe permitiria jogar as oitavas de final em Wembley, o templo histórico do futebol britânico. 

A primeira partida, no dia 13 de junho, dará aos ingleses a possibilidade de uma revanche contra a Croácia, que acabou com o sonho de chegar à final da Copa do Mundo há três anos na Rússia. 

Em seguida, haverá uma partida sempre difícil contra a vizinha Escócia, no dia 18 de junho, 25 anos após o duelo vencido na Eurocopa de 1996 com um antológico gol de Paul Gascoine. 

No último jogo, em 22 de junho, a Inglaterra enfrentará a República Tcheca, a quem goleou por 5 a 0 em Wembley, antes de sofrer sua única derrota em uma espetacular fase de classificação para a seleção dos Três Leões: 7 vitórias em 8 jogos, com 37 gols marcados e 6 sofridos.

Related posts
DesportoPortugal

Testagem volta a ser obrigatória antes dos jogos da I e II Liga

BrasilDesporto

A nova vida do ex-goleiro da Chapecoense, cinco anos após a tragédia

Desporto

Lionel Messi é o vencedor da Bola de Ouro de 2021

AngolaDesporto

Mateus Galiano defende profissionalização do futebol de Angola

Assine nossa Newsletter