Milhares na despedida de Yuan Longping, o "pai do arroz híbrido"

Milhares na despedida de Yuan Longping, o “pai do arroz híbrido”

Milhares de pessoas despediram-se no início desta semana, na cidade de Changsha, centro da China, do cientista Yuan Longping, conhecido pelo desenvolvimento das primeiras variedades de arroz híbrido, e que morreu no último sábado, aos 90 anos

“Viemos de longe para nos despedir. Vim com o meu filho para que ele saiba da sua importância”, disse uma mulher, que compareceu às cerimónias fúnebres, citada pela emissora estatal CCTV.

“Na China e em muitas outras partes do mundo, as pessoas puderam encher a sua tigela de arroz graças a ele”, apontou outro cidadão ao jornal oficial “China Daily”.

O desenvolvimento de híbridos de arroz de alto rendimento, na década de 1970, resultou num aumento acentuado nas colheitas na Ásia e em África e fez do cientista um herói na China, onde se calcula que o seu trabalho permitiu alimentar mais 70 milhões de pessoas.

Yuan morreu devido à falência de múltiplos órgãos, segundo a imprensa estatal chinesa.

Yuan recebeu a Medalha da República de 2019, a maior homenagem na China, pela sua contribuição para a segurança alimentar do país asiático, o desenvolvimento científico da agricultura e o aumento da produção global de alimentos.

As variedades de arroz híbrido normalmente produzem entre 20% e 30% mais arroz por acre do que as variedades não híbridas, quando cultivadas com as mesmas técnicas de transplante, fertilizante e água.

O aumento acentuado da produção tornou a fome uma memória distante na maioria dos países produtores de arroz.

A China soma quase um quinto da população mundial, mas as terras aráveis do país não ultrapassam 13,5% da sua área total.

Dados de 2020 indicam que a República Popular da China é o maior produtor mundial de arroz, com 211 milhões de toneladas, seguida da Índia, com 158 milhões e da Indonésia, com 77 milhões. A Ásia abriga nove dos dez maiores produtores mundiais de arroz. A única exceção é o Brasil que aparece em nono lugar na lista, entre as Filipinas e o Paquistão.~

Este artigo está disponível em: 繁體中文

Related posts
MundoSociedade

Muitos pacientes de Covid sofrem de fadiga e falta de ar um ano depois

FuturoSociedade

Cientistas impedem "in vitro" replicação do coronavírus nas células humanas

FuturoMundo

Dolly, a ovelha mais famosa do Mundo nasceu há 25 anos

Futuro

Novo telescópio irá medir expansão do Universo

Assine nossa Newsletter