Minsk acusa Paris de "pirataria" por negar espaço aéreo a avião da companhia estatal

Minsk acusa Paris de “pirataria” por negar espaço aéreo a avião da companhia estatal

A Bielorrússia acusou hoje França de “pirataria aérea” por negar a passagem pelo espaço aéreo francês de um avião da Belavia Belarusian Airlines que partiu de Minsk, capital bielorrussa, em direção a Barcelona, em Espanha

“É um facto absolutamente escandaloso e um ato imoral. Honestamente, é praticamente pirataria aérea”, disse, em comunicado, o porta-voz da diplomacia bielorrussa, Anatoly Glaz.

O incidente ocorreu três dias depois do desvio para Minsk de um avião da Ryanair que fazia a ligação entre Atenas, capital da Grécia, e Vílnius, capital da Lituânia, e consequente detenção do jornalista e opositor do regime bielorrusso Roman Protasevich, de 26 anos, e da namorada.

Nota divulgada pela Belavia dá conta de que as autoridades de aviação francesas “desativaram manualmente o plano de voo” poucos minutos depois da descolagem e não notificaram a companhia aérea.

Também hoje, um voo da Air France, entre Paris, capital francesa, e Moscovo, capital da Rússia, foi “adiado” por causa das crescentes tensões entre Minsk e a comunidade internacional.

“O voo está, nesta fase, adiado para 27 de maio [quinta-feira] e uma nova avaliação vai ser feita na noite de hoje”, explicitou à France-Presse (AFP) um porta-voz da companhia aérea francesa.

De Portugal aos Estados Unidos, vários países condenaram e ameaçaram a Bielorrússia com sanções.

A União Europeia decidiu na terça-feira encerrar o espaço aéreo dos Estados-membros a aviões da Belavia na sequência das detenções de Protasevich e da namorada.

O opositor, que conseguiu utilizar várias plataformas para contornar Minsk e fazer frente ao regime, foi visto pela última vez na segunda-feira a dizer que estava a colaborar com as autoridades e a “fazer uma confissão”, através de um vídeo transmitido pela televisão pública bielorrussa.

Minsk diz que havia uma ameaça de bomba credível a bordo do avião desviado, mas tudo indica que não passou de um engodo para conseguir a detenção de Roman Protasevich.

O Kremlin está a apoiar o regime do Presidente, Aleksandr Lukashenko.

O Conselho de Segurança das Nações Unidas reuniu-se hoje de emergência para analisar esta questão, e os países europeus que compõem este órgão, assim como Washington, exigiram à Organização Internacional de Aviação Civil uma investigação investigar “urgentemente” para apurar as circunstâncias do desvio do avião comercial, no domingo.

Related posts
Lifestyle

Morreu Virgil Abloh, diretor das coleções masculinas da Louis Vuitton

MundoPolítica

França acusa Austrália de mentir sobre acordo de submarinos

ChinaPolítica

Macron pede a Xi Jinping que levante sanções contra países da UE

Desporto

França bate Espanha e conquista segunda edição da Liga das Nações

Assine nossa Newsletter