Crise na África pode marcar reaproximação entre Igreja Universal e PT - Plataforma Media

Crise na África pode marcar reaproximação entre Igreja Universal e PT

Indiferente à história, Bolsonaro ignora que Brasil começou em Angola

Nada parece mais sintomático da falência sistêmica do bolsonarismo do que as frustrações da Igreja Universal do Reino de Deus e a ameaça de uma possível ruptura entre a instituição e o governo.

Primeiro presidente eleito com voto em massa de uma comunidade religiosa, Jair Bolsonaro prometera colocar o Estado a serviço de pastores e bispos. A aliança na política externa, menos discutida publicamente, era tão importante como os outros acertos. A Igreja Universal via no Itamaraty um veículo para ampliar a sua transnacionalização e em Bolsonaro o melhor embaixador para os seus interesses.

Leia mais em Folha de S. Paulo

Assine nossa Newsletter