João Lourenço reitera apelo à sensibilidade aos países pobres - Plataforma Media

João Lourenço reitera apelo à sensibilidade aos países pobres

O Presidente da República, João Lourenço, reiterou, ontem, em Luanda, o apelo aos países mais desenvolvidos, com capacidade industrial de produção de vacinas contra a Covid-19, a serem mais sensíveis e compreensíveis, tendo em conta que ninguém se vai salvar sozinho.

“Ou nos salvamos a todos, ricos e pobres, poderosos e não poderosos, ou ninguém se vai salvar”, disse o Presidente, lembrando que a pandemia atingiu todo o planeta e, em função disso, a resposta à doença tem de ser, também, a nível planetário. Em declarações prestadas à imprensa, depois de ter apanhado a primeira dose da vacina russa Sputnik V, no posto de vacinação do Paz Flor, no Morro Bento, o Chefe de Estado admitiu que a população mundial é, por enquanto, maior do que a capacidade de resposta da parte das farmacêuticas, mas insistiu na necessidade de haver um esforço no aumento das vacinas e facilitação na sua distribuição aos beneficiários a preços acessíveis. 

Leia mais em Jornal de Angola

Assine nossa Newsletter