Cooperação entre China e Portugal aposta nas áreas da energia, economia digital e saúde

Cooperação entre China e Portugal aposta nas áreas da energia, economia digital e saúde

Zhao Bentang, o novo embaixador da China em Portugal, argumenta que a perspetiva de cooperação entre os dois países “é muito ampla” e destaca a energia, a economia digital, a saúde como novas áreas de cooperação.

Num artigo publicado na imprensa portuguesa, intitulado “Fazendo esforços conjuntos para construir um futuro brilhante para as relações sino-portuguesas”, Zhao recorda que Portugal e a China são parceiros estratégicos globais, com “forte complementaridade económica e tecnológica” e com “uma perspetiva muito ampla de cooperação”.

“O lado chinês está disposto a criar mais sinergias com o lado português em termos de estratégia de desenvolvimento, aprofundar a cooperação nas áreas da economia e comércio, energia, infraestruturas, tecnologia digital, saúde, desenvolvimento verde, e em mercados terceiros, para melhor beneficiar os povos e dar um contributo ainda maior para o desenvolvimento e prosperidade regional e internacional”, diz o diplomata, que sucedeu a Cai Run à frente da embaixada em Lisboa.

No artigo, Zhao sublinha que a China é o maior parceiro de Portugal na Ásia e que o valor do investimento chinês por habitante em Portugal é um dos maiores da União Europeia.

“Projetos em áreas como infraestruturas, energia e outras estão a progredir, enquanto novas áreas de cooperação estão constantemente a emergir, como a indústria, a economia digital, a saúde, etc.”, assinala.

A cooperação no âmbito da iniciativa chinesa “Faixa e Rota”, acrescenta, “ultrapassa o âmbito bilateral, uma vez que a cooperação trilateral na Europa, África e América Latina e Caraíbas está a registar um forte crescimento”.

Antigo diretor-geral do Departamento Comercial para a América Latina e Caraíbas no Ministério dos Negócios Estrangeiros em Pequim, o novo embaixador entregou as suas cartas credenciais em Março ao presidente português, Marcelo Rebelo de Sousa.

No artigo, Zhao destaca ainda o crescente fluxo de turistas chineses para Portugal, o aumento de alunos chineses a estudar em Portugal e, em particular, a existência de mais de 30 instituições de ensino superior na China que têm cursos de língua portuguesa, enquanto em Portugal muitos institutos ou escolas têm cursos de língua chinesa.

A China e Portugal estabeleceram relações diplomáticas em Fevereiro de 1979 e uma Parceria Estratégica Global em 2005.

Este artigo está disponível em: 繁體中文

Related posts
ChinaGrande Baía

Três grandes projetos de colaboração entre Guangdong e Macau

Cabo VerdeMundo

Cabo Verde reforça combate ao crime organizado com apoio dos EUA

BrasilChina

Relações "estratégicas e de longo prazo"

Cabo VerdePolítica

Presidente do Camões diz que 2020 foi marco da cooperação portuguesa em Cabo Verde

Assine nossa Newsletter