Cuidado com as cópias: China apela à suspensão da construção de cópias de relíquias culturais - Plataforma Media

Cuidado com as cópias: China apela à suspensão da construção de cópias de relíquias culturais

A Administração de Património Cultural Nacional e o Ministério da Cultura e Turismo emitiu recentemente um comunicado a apelar para que a construção de cópias de relíquias culturais pare imediatamente. Na nota incentiva-se as autoridades locais a supervisionarem e a denunciarem todo o tipo de projetos que incluam relíquias culturais falsificadas, publicidade enganosa ou falsa informação.

Tianducheng, na região nordeste de Hangzhou, cobre uma área de 4,6 mil quilómetros e conta com uma população de 100 mil pessoas. Uma das principais caraterísticas deste local é a arquitetura de estilo francês. Ali é possível ver-se uma réplica da parisiense Torre Eiffel, mas com um terço da dimensão da original, e o Parque Tiandu, que junta uma série de atrações europeias.

Tianducheng, localizada a cerca de uma hora de carro do centro de Hangzhou, é descrita como uma “cidade abandonada”, que em 2013 tinha uma população de apenas 2 mil pessoas, numa comunidade planeada para 10 mil. Porém, de acordo com dados de 2017, um total de 30 mil pessoas reside ali. Os apartamentos da região variam desde T0 a T4, com entre 20 e 130 metros quadrados e no valor de entre 600 mil a 3 milhões de RMB.

Um agente imobiliário local esclarece que a maioria dos residentes são crianças e idosos. “Mas com a atual construção da terceira linha de metro, com inauguração prevista para o final do ano, espera-se um aumento no número de residentes”, assinala.

Além da “Torre Eiffel”, há uma “alameda” “Champs-Élysées”. Apesar de em tempos ter sido considerada abandonada, esta pequena comunidade conta agora com uma grande variedade de comércio, incluindo restaurantes, supermercados, hotéis, centros de explicação, lojas de instrumentos musicais, lavandarias, salões de beleza e até cibercafés. Pelas ruas vemos ainda estátuas, fontes e arcos ao estilo arquitetónico europeu.

A comunidade atrai por isso muitas pessoas que procuram um local para tirar fotografias de casamento. O parque Tiandu, por exemplo, tem um conjunto de pequenos edifícios que recria diferentes e famosos locais da Europa: o Coliseu de Roma, o Castelo de Hohenschwangau e diversas igrejas são populares como plano de fundo para as sessões fotográficas. Mas Tianducheng atrai também criadores internacionais. Em 2016, por exemplo, o músico britânico Jamie XX gravou o videoclip do tema “Gosh” em Tianducheng, e o fotógrafo francês, François Prost, organizou também uma sessão fotográfica no local para comparação com a verdadeira cidade de Paris.

Voltemos à posição pública assumida pela Administração de Património Cultural Nacional e o Ministério da Cultura e Turismo e ao “Comunicado sobre o Controlo da Construção Excessiva de Cópias de Relíquias Culturais” onde se exige que as autoridades locais supervisionem e inspecionem as respetivas regiões. No documento pede-se para, caso descubram situações de falsificação de objetos culturais, desinformação sobre factos históricos ou publicidade enganosa, estes devem ser imediatamente denunciados e retificados. O texto salienta que os departamentos relacionados devem estar cientes do impacto negativo que estas cópias têm, como desperdício de recursos, falsa representação cultural e histórica e destruição de caraterísticas naturais ou culturais destes locais onde estão edificados. O Governo central opõe-se assim à construção excessiva de cópias de relíquias culturais chinesas ou internacionais, especialmente quando estas são património cultural mundial, ou lugares históricos que contêm objetos culturais sob proteção nacional. No documento pede-se que as autoridades reguladoras da cultura e do turismo, a todos os níveis, deverão interromper ativamente quaisquer projetos de relíquias culturais que possam constituir insulto ou “estrangeirização”.

Indica ainda que estes departamentos devem promover a informação e educação sobre o desenvolvimento, construção e administração de objetos culturais para consciencializar o público e incentivar a utilização de características culturais locais para o desenvolvimento de produtos turísticos.

O turismo local deve refletir as caraterísticas culturais e humanísticas dessas mesmas regiões, deve oferecer ao público de todo o mundo uma forma de conhecer a cultura chinesa e aumentar o orgulho nacional, conclui.

Este artigo está disponível em: 繁體中文

Related posts
CulturaMacau

Design: Exposição em Lisboa revela projetos locais feitos nos últimos 20 anos

CulturaMacau

Exposição sobre Bienal de Veneza inaugurada ontem

BrasilCultura

Morre Paulo Mendes da Rocha, o último gigante da arquitetura brasileira

ChinaEntrevista

"Não é por acaso que ganhamos dois prémios com edifícios na China"

Assine nossa Newsletter