Crise na IURD em Angola não afeta relação com o Brasil, diz embaixador brasileiro - Plataforma Media

Crise na IURD em Angola não afeta relação com o Brasil, diz embaixador brasileiro

O embaixador do Brasil em Luanda afirmou que as questões relacionadas com a Igreja Universal do Reino de Deus (IURD) em Angola têm a ver com a crise interna da instituição e não afetam o relacionamento entre os dois Estados.

Rafael Vidal disse à agência Lusa que tem acompanhado os assuntos que envolvem brasileiros pertencentes à IURD recentemente notificados para abandonar Angola, mas sublinhou que se trata de questões migratórias sobre as quais quem legisla e tem competências é Angola, considerando que o caso não compromete a relação bilateral dos dois países.

“Absolutamente, não. A IURD em Angola é uma igreja angolana que conta com cidadãos brasileiros. É uma grande instituição que tem presença no mundo inteiro e, em Angola, é uma igreja angolana sujeita aos regulamentos e normas das instituições religiosas previstas pelo Estado angolano, que é um Estado de direito”, afirmou o diplomata.

Rafael Vidal acrescentou que as decisões do Estado angolano em relação à igreja de origem brasileira pautam-se pelas leis angolanas.

“A questão da IURD não é uma questão entre os Estados, é uma questão que envolve uma instituição brasileira que vem sofrendo uma crise interna e que, em função dessa crise, tem gerado decisões de órgãos reguladores como o INAR (Instituto Nacional para As-suntos Religiosos), em relação ao funcionamento da igreja”, complementou

São, por isso, questões relacionadas “com o ordenamento jurídico interno de Angola e a regulamentação da actividade religiosa” que “não entram na agenda bilateral entre os governos e os estados”, salientou, adiantando que “o Brasil acompanha com atenção todas as questões que envolvem cidadãos brasileiros” em Angola. Meia centena de missionários brasileiros afectos à antiga liderança da IURD em Angola estão a ser notificados para abandonar o país no prazo de oito dias, por se encontrarem com vistos de permanência no país caducados.

Leia mais em Jornal de Angola

Related posts
AngolaBrasil

Bispo da Igreja Universal em Angola nega actos xenófobos

AngolaBrasil

Deputado diz que Bolsonaro vai falar com Presidente angolano sobre situação da IURD

AngolaSociedade

Fiéis da Igreja Universal condenados por desobediência

AngolaPolítica

“Já não há conflito na Igreja Universal”, garante Jomo Fortunato

Assine nossa Newsletter