Após pressão do mercado, Bolsonaro busca reaproximação com empresariado - Plataforma Media

Após pressão do mercado, Bolsonaro busca reaproximação com empresariado

Alvo de críticas, presidente terá jantar com empresários em São Paulo nesta quarta-feira (7).

Diante do temor de perder apoio do mercado financeiro, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) busca agora uma reaproximação com o empresariado.

Ele terá um jantar com grandes empresários na quarta-feira (7), em São Paulo. O encontro deve ser na casa de Washington Cinel, dono da empresa de segurança Gocil, mesmo local onde, em 22 de março, empresários reuniram-se com os presidentes da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), e do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), para discutir saídas para a crise da Covid-19.

Dois dias adiante, os parlamentares reuniram-se com Bolsonaro, ministros e com o presidente do STF (Supremo Tribunal Federal), ministro Luiz Fux, para discutir a situação da pandemia no país.

Foi do encontro de 24 de março, no Palácio da Alvorada, que foi lançado o comitê anti-Covid, depois de um ano de pandemia e 300 mil mortes.

Horas depois, naquele mesmo dia, o presidente da Câmara fez um pronunciamento que trouxe de volta o fantasma do impeachment. Lira afirmou que, se não houvesse correção de rumo, a crise poderia resultar em “remédios políticos amargos” a serem usados pelo Congresso, alguns deles fatais.

Na semana seguinte, Bolsonaro promoveu uma dança das cadeiras na Esplanada dos Ministérios e entregou a cabeça do então chanceler Ernesto Araújo, uma das exigências feitas no ultimato dado pelo centrão e pelo mercado.

Os empresários também pressionavam pela demissão de Ricardo Salles (Meio Ambiente), o que não aconteceu até agora.​

De acordo com um dos empresários, o jantar está sendo articulado por auxiliares do presidente e acontecerá em um dia em que Bolsonaro terá agendas de inaugurações e relacionadas à saúde.

Pela manhã, ele vai a Chapecó (SC) com o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga. Bolsonaro compartilhou nesta segunda-feira (5) um vídeo em que o prefeito João Rodrigues (PSD) atribui os baixos índices de internação no município ao “tratamento precoce”, ignorando que a cidade teve medidas mais restritivas que o restante do estado.

Leia mais em Folha de S.Paulo

Related posts
BrasilPolítica

Bolsonaro publica vídeo com ataques a Lula antes da campanha

BrasilPolítica

Bolsonaro apresenta melhoras clínicas. Médico decidirá sobre cirurgia

BrasilSociedade

Bolsonaro divulga vídeo onde homem descreve vacinas como "porcaria"

BrasilLifestyle

Bolsonaro festeja eleição como "personalidade do ano" pela Time

Assine nossa Newsletter