Na Câmara, Flordelis chora, diz ser 'a favor da vida' e acusa filhas de mandarem matar marido - Plataforma Media

Na Câmara, Flordelis chora, diz ser ‘a favor da vida’ e acusa filhas de mandarem matar marido

Deputada se defendeu em processo no conselho de ética que pode levar à cassação do seu mandato por quebra de decoro parlamentar.

Em sua primeira defesa no Conselho de Ética da Câmara para evitar ser cassada, a deputada Flordelis (PSD-RJ) chorou, negou ter mandado matar o marido, acusou duas filhas de terem orquestrado o crime e disse nunca ter usado a prerrogativa parlamentar para fugir da Justiça.

Flordelis falou por cerca de dez minutos em uma sessão que também tinha como objetivo permitir ao deputado Alexandre Leite (DEM-SP), relator da representação contra a pastora, explicitar seu plano de trabalho sobre o processo.

A deputada iniciou a fala defendendo sua inocência na morte do pastor Anderson do Carmo. “Eu não mandei matar meu marido. Eu não participei de nenhum ato de conspiração contra a vida do homem que foi meu companheiro por muitos anos, mais de 20 anos.”
“Caminhamos juntos, ele era muito mais do que meu marido, ele era meu amigo. Nós tínhamos uma cumplicidade enorme.”

Flordelis, que também é cantora gospel, disse estar sofrendo uma perseguição implacável. “O que está acontecendo, excelência, é um assassinato da minha reputação, do meu nome, de forma violenta e desumana”, afirmou. Em seguida, a deputada ressaltou que tem tido a vida “violada” pelas redes sociais e pela mídia. “Não tenho tido um único momento de paz.”

No discurso, Flordelis disse que nunca tentou usar a prerrogativa parlamentar para fugir do Judiciário. “Mas, apesar de tudo isso, do princípio da presunção de inocência até o trânsito em julgado, gente, eu não fui julgada ainda”, afirmou, com a voz embargada.

Ela pediu aos colegas que não “cometam nenhuma injustiça”. “Jamais poderão alcançar a dor que é perder meu marido”, afirmou. “Eu jamais mandaria matar meu marido, ele era meu amigo. Ele era bom para mim. Ele me fazia me sentir especial.”

A deputada falou também da confissão de sua filha biológica Simone. “Eu ainda não tive coragem de ouvir a confissão toda da minha filha, mas eu fiquei sabendo que ela falou que mandou matar meu marido. Isso não está certo, não era esse o caminho que ela tinha que tomar”, disse. “Eu sou a favor da vida.”

Leia mais em Folha de S.Paulo

Related posts
BrasilPolítica

Flordelis é presa no Rio acusada de mandar matar o marido

BrasilSociedade

Caso Flordelis. Ética do Parlamento avalia deputada acusada de matar o marido

Assine nossa Newsletter