União Europeia saúda regresso dos EUA ao Acordo de Paris - Plataforma Media

União Europeia saúda regresso dos EUA ao Acordo de Paris

A União Europeia (UE) congratulou-se, esta quinta-feira , com a decisão adoptada pelo novo Presidente norte-americano, Joe Biden, de aderir novamente ao Acordo de Paris, de combate às alterações climáticas, vincando que esta é uma “responsabilidade colectiva global”.

“A UE congratula-se com a decisão do Presidente Biden de os Estados Unidos aderirem de novo ao Acordo de Paris sobre as alterações climáticas. Estamos ansiosos por ter os Estados Unidos novamente do nosso lado na liderança dos esforços globais para combater a crise climática”, reagiu o bloco comunitário, numa declaração assinada pelo vice-presidente executivo da Comissão Europeia Frans Timmermans, com a pasta do Pacto Ecológico Europeu, e pelo Alto Representante para a Política Externa, Josep Borrell.

Vincando que “a acção climática é uma responsabilidade colectiva global”, os responsáveis notam que esta emergência é um “desafio determinante” dos tempos actuais, que só pode ser “enfrentado através da combinação de todas as forças”. Frans Timmermans e Josep Borrell adiantaram que a Conferência das Nações Unidas sobre Alterações Climáticas em Glasgow, em Novembro, “será um momento crucial para aumentar a ambição global”.

“Utilizaremos as próximas reuniões do G7 e do G20 para construir nesse sentido. Estamos convencidos de que se todos os países aderirem a uma corrida global a zero emissões, todo o planeta ganhará”, concluíram.

O Presidente dos Estados Unidos da América, Joe Biden, assinou, na quarta-feira, poucas horas após assumir o cargo, um decreto sobre o regresso do país ao Acordo de Paris, depois de Donald Trump ter abandonado o tratado climático em 2017. “Vamos lutar contra as mudanças climáticas como nunca fizemos antes”, disse Biden, ao discursar na Sala Oval.

Leia mais em Jornal de Angola

Artigos relacionados
MundoPolítica

Presidência Trump deixou democracia dos EUA ao nível do Panamá

CulturaMundo

Seis livros de Dr. Seuss descontinuados nos EUA por serem racistas e insensíveis

ChinaMundo

Direitos humanos: Pequim vai publicar relatório que visa Estados Unidos

MundoPolítica

Trump critica primeiro mês de Biden e pisca o olho a 2024

Assine nossa Newsletter