Brasil bate recorde de exportação de café em 2020 apesar da Covid-19 - Plataforma Media

Brasil bate recorde de exportação de café em 2020 apesar da Covid-19

O Brasil, maior produtor e fornecedor mundial de café, exportou 44,5 milhões de sacos (de 60 quilogramas) desse grão em 2020, volume 9,4% superior ao de 2019 e um número recorde para o país, apesar da pandemia.

O dados foram divulgados na segunda-feira pelo Conselho dos Exportadores de Café do Brasil (Cecafé) e, no total, o país sul-americano recebeu pela venda de café verde, solúvel, torrado e moído, 5.365 milhões de dólares (4,44 mil milhões de euros) no ano passado, 10,3% a mais do que em 2019.

Segundo o balanço divulgado pelo Cecafé, o montante recebido pelo Brasil equivale a cerca de 29 mil milhões de reais, o que representou um aumento de 44,1% na conversão para reais e com o qual atingiu uma participação de 5,6% nas exportações agroindustriais e 2,7% nas exportações totais do país.

Do volume total de grãos embarcado em 2020, 40,4 milhões de sacos foram de café verde, o que representa um aumento de 10,2% em comparação com 2019.

Entre os tipos de café verde, o arábica continua a liderar as vendas externas com 35,5 milhões de sacas, num aumento de 8,4% face a 2019, e uma marca histórica para esse tipo de grão.

Seguiram-se as variedades de café do tipo robusta e café solúvel, respetivamente, e ambas bateram recordes em 2020. A robusta com 4,9 milhões de sacos exportadas (24,3%) e solúvel com 4,1 milhões de sacos vendidas (2,4 %).

“Devido à pandemia de covid-19 estamos a atravessar um período desafiador, mas, ao mesmo tempo, tivemos uma das maiores colheitas e concluímos com uma exportação de 44,5 milhões de sacas, batendo um recorde histórico”, disse o presidente do Cecafé, Nelson Carvalhaes, em conferência de imprensa.

Segundo o executivo, o setor cafeeiro administra todas as medidas de higiene e segurança para que o grão chegue a mais de 130 países nas condições exigidas pela pandemia e sob as recomendações da Organização Mundial da Saúde (OMS).

“Os resultados do mês de dezembro e de 2020 mostram, mais uma vez, que, apesar de todas as dificuldades enfrentadas pela pandemia, a cadeia agroindustrial do café manteve um excelente resultado”, acrescentou.

No último mês de 2020, o Brasil também bateu a sua marca ao exportar 4,3 milhões de sacos de café, 38,6% a mais do que no mesmo período em 2019 e o maior volume registado na história para um mês de dezembro.

As vendas do grãos em dezembro representaram uma receita para o Brasil de 541 milhões de dólares (448 milhões de euros), num aumento de 37,1%. Também as exportações em novembro foram as maiores para o mês na história.

Os Estados Unidos continuam a ser o principal destino do grãos brasileiros, com 8,1 milhões de sacos exportadas, representando 18,3% das exportações.

Em seguida surge a Alemanha, com 7,6 milhões (17,1%), a Bélgica, com 3,7 milhões (8,4%), Itália, com três milhões de sacos (6,8%) e o Japão, com 2,4 milhões de sacos (5,4%).

O Brasil tem mais de 2,2 milhões de hectares cultivados com café e, dos mais de 264 mil produtores, 72% são pequenos agricultores.

Assine nossa Newsletter