Defendida maior divulgação da história da Baixa de Cassanje - Plataforma Media

Defendida maior divulgação da história da Baixa de Cassanje

A historiadora Rosa Cruz e Silva defendeu, na última quinta-feira, no município do Quela, província de Malanje, uma maior promoção e divulgação da história do bárbaro massacre da Baixa de Cassanje, ocorrido a 4 de Janeiro de 1961.

Rosa Cruz e Silva falava durante a 5ª edição do encontro intergeracional, que juntou nacionalistas e sobreviventes do massacre da Baixa de Cassanje, em que milhares de camponeses dos campos de algodão, da extinta Companhia Cotonang, foram mortos com bombardeamentos aéreos pelo exército colonial português por reclamarem os seus direitos.

O encontro teve como objectivo fundamental transmitir aos jovens os factos e feitos da geração da Luta Armada de Libertação Nacional, que durou cerca de 14 anos. Rosa Cruz e Silva considera haver um certo desinteresse por parte dos investigadores e historiadores nacionais sobre o assunto.
A história do 4 de Janeiro, acrescentou, tem a sua importância, apesar de não ser um feriado nacional, por isso, urge homenagear sempre os Mártires da Repressão Colonial para que a data não caia no esquecimento.

Leia mais em Jornal de Angola

Assine nossa Newsletter