Bootcamps. Outra porta para entrar no mundo da tecnologia

Bootcamps. Outra porta para entrar no mundo da tecnologia

Em nove semanas é possível aprender as bases de uma nova profissão na área das tecnologias de informação e fazer mudanças de vida e profissionais de 180º

Ana, Cristiana, Frederico e Jhonatas podem ter percursos profissionais bastantes díspares, mas têm pelo menos uma coisa em comum: mudaram de profissão para o setor da tecnologia através de um bootcamp tecnológico.

Ao longo dos últimos anos, o mercado português tem recebido este tipo de opções de aprendizagem em que, durante um determinado período de tempo, é possível fazer uma formação intensiva numa área específica das TI. A Ironhack, escola de tecnologia que chegou a Portugal no final de 2018, é uma das empresas que disponibilizam bootcamps de formação, onde é possível aprender desde programação até UX/UI Design.

Frederico Villaret, 38 anos, trabalhou 11 anos como gestor de cinemas e foi a vida familiar que o fez mudar de trabalho. Com filhos gémeos, decidiu fazer uma pausa para passar mais tempo com as crianças. Quando voltou ao trabalho percebeu que era tempo de mudar. “O mundo onde estive durante 11 anos é cansativo fisicamente, teve um impacto na família, até que chegou a uma altura em que achei que já não era possível continuar.”

Começou a pesquisar e, pouco tempo depois do nascimento do terceiro filho, enveredou pelo bootcamp de UX/UI Design, em maio de 2019. Já tinha tido a experiência da vida militar, mas refere que “sofreu mais neste bootcamp, não na parte física, mas sim, na exaustão diária. Não é de todo limitado ao espaço de tempo definido, porque se for só das 9 às 18h não vai funcionar, porque é muito intenso”, explica. Hoje em dia trabalha como UX/UI designer na consultora Waeg. “Foi a melhor decisão da minha vida em termos profissionais, não tenho a menor dúvida.”

Leia mais em Dinheiro Vivo

Related posts
MacauSociedade

Tecnologias da Informação longe das escolas

AngolaFuturo

Tecnologias de informação apontadas como solução para o ensino superior angolano

Assine nossa Newsletter