Zero assinala impacto do Acordo de Paris, mas lembra que ainda "estamos aquém"

Zero assinala impacto do Acordo de Paris, mas lembra que ainda “estamos aquém”

Francisco Ferreira lembra, contudo, que “estamos, infelizmente, numa linha de vir a aquecer, se calhar, mais de 3 graus celsius em relação à Era Pré-Industrial, quando o limite traçado pelo Acordo de Paris é de 1,5 graus celsius”

As Nações Unidas assinalam este sábado os cinco anos do Acordo de Paris, um entendimento histórico para impedir o aquecimento global e as alterações climáticas. Francisco Ferreira, representante da associação ambientalista Zero assinala o impacto das medidas desse acordo, mas acredita que é preciso ir mais longe.

“Desde Paris, estão a surgir soluções de baixo carbono, já estamos a recuar no uso do carvão à escala mundial, tirando a China, e o pico de procura do petróleo praticamente já está para trás. Estamos assim a desenvolver um outro tipo de economia muito diferente, mas, por outro lado, também é verdade que estamos aquém das reduções que deviam ser da ordem dos 7% ao ano e só a pandemia conjunturalmente é que nos trouxe esse efeito”, sustenta o ambientalista.

Francisco Ferreira lembra, contudo, que “estamos, infelizmente, numa linha de vir a aquecer, se calhar, mais de 3 graus celsius em relação à Era Pré-Industrial, quando o limite traçado pelo Acordo de Paris é de 1,5 graus celsius”.

Leia mais em TSF

Related posts
EconomiaPortugal

Saiba o que estão as empresas portuguesas a fazer no domínio ambiental

BrasilMundo

Brasil fica de fora da conferência do clima e governo de Bolsonaro tenta reverter decisão

BrasilMundo

Brasil quer 8,25 mil ME por ano para antecipar meta do Acordo de Paris

FuturoMundo

Biden promete reincorporar EUA no Acordo de Paris no primeiro dia da sua presidência

Assine nossa Newsletter