Jornalista que incentivou protestos contra o regime enforcado - Plataforma Media

Jornalista que incentivou protestos contra o regime enforcado

Ruholá Zam, diretor do ‘site’ Amadnews for condenado à morte por 13 acusações, incluindo corrupção na terra. A denominação de “corrupção na terra” está entre as acusações mais graves consideradas pelo Irão.

O ativista e jornalista iraniano Ruholá Zam, diretor do ‘site’ Amadnews, foi enforcado este sábado depois de ter sido condenado à morte por incitar protestos contra o regime em finais de 2017 no Irão, informaram hoje as autoridades iranianas.

“Zam foi condenado à morte por 13 acusações, incluindo corrupção na terra, e a sua sentença foi confirmada pelo Supremo Tribunal e, após os procedimentos legais de hoje, 12 de dezembro de 2020, a sua sentença de morte foi executada e foi enforcado”, informa a Procuradora-Geral e Revolucionária, em comunicado.

A denominação de “corrupção na terra” está entre as acusações mais graves consideradas pelo Irão, nas quais se inclui o assassinato, o terrorismo ou insurgir-se contra o Estado e em que a jurisprudência islâmica costuma punir com enforcamento.

Leia mais em Diário de Notícias

Este artigo está disponível em: 繁體中文

Related posts
Política

Irão diz ter desenvolvido um míssil hipersónico

PolíticaSociedade

Iranianos voltam às ruas desafiando ordens da Guarda Revolucionária

MundoPolítica

Forças de segurança atiram aos manifestantes no Irão após homenagem a jovem morta

Sociedade

'Homem mais sujo do mundo' morre aos 94 anos

Assine nossa Newsletter