Novos confrontos em Paris entre manifestantes contra a nova lei de segurança e a polícia - Plataforma Media

Novos confrontos em Paris entre manifestantes contra a nova lei de segurança e a polícia

A violência irrompeu na capital francesa pelo segundo fim de semana consecutivo num protesto massivo contra a nova lei de segurança, com manifestantes a entrar em confronto com a polícia, carros incendiados e montras partidas


Os protestos semanais em todo o país contra a nova lei de segurança, que proíbe a divulgação de gravações audiovisuais de atos da polícia, estão a tornar-se uma grande dor de cabeça para o governo do presidente Emmanuel Macron, com as tensões intensificadas pela brutal agressão policial a um produtor musical negro no mês passado.

Mas os números dos participantes em protestos por todo o país caíram para menos de metade este sábado, com 52.350 manifestantes contra 133.000 na semana anterior, informou o Ministério do Interior.

Em Paris foram cerca de 5.000 os que acorreram às ruas em protesto contra 46.000 na semana passada, acrescentou o ministro. Membros do chamado movimento dos Coletes Amarelos, que agitou Macron com protestos contra a falta de igualdade social em França durante o inverno de 2018-2019, também se destacaram na manifestação deste sábado.4

As montras e janelas de um supermercado, de uma agência imobiliária e de um banco na capital francesa foram partidas enquanto vários carros foram incendiados ao longo da Avenida Gambetta. Milhares de manifestantes marcharam no meio de atos de violência em direção à Place de la Republique.

Os populares lançaram objetos contra a polícia que respondeeu com gás lacrimogéneo, numa repetição das cenas violentas dos protestos do último fim de semana contra a lei de segurança que restringiria a publicação de fotos com rostos de polícias.

Alguns manifestantes usaram objetos deixados nas ruas para criar barricadas improvisadas, que depois incendiaram. Os manifestantes, pelo meio de bombas de fumo e fogos de artifício, gritaram slogans de ódio à autoridade como “Todos odeiam a polícia”.

O ministro do Interior, Gerald Darmanin, escreveu no Twitter que a polícia em Paris estavaa enfrentar “indivíduos muito violentos”. “Os bandidos estão a derrubar a República”, frisou o governante. 64 pessoas foram detidas em todo o país, disse Darmanin, acrescentando que oito polícias ficaram feridos.

Este artigo está disponível em: 繁體中文

Artigos relacionados
MundoPolítica

Quatro polícias franceses acusados por agressão brutal a produtor negro

Sociedade

Policiais franceses comparecem à justiça por espancamento de homem negro

MundoPolítica

Fotógrafo é ferido nos protestos e RSF denuncia violência policial em Paris

Sociedade

Milhares protestam contra lei de segurança na França, abalada pela violência policial

Assine nossa Newsletter