Exclusivo Plataforma: Não há diálogo com os terroristas- Plataforma Media

Exclusivo Plataforma: Em Cabo Delgado “não há diálogo com os terroristas”

O Governador de Cabo Delgado, Valige Tauabo, assume, em entrevista ao Plataforma, que a situação naquela província do norte de Moçambique se tem vindo a agravar. Nos últimos meses as “ações macabras dos terroristas” provocaram o aumento do número de deslocados. Muitos fogem agora de barco, pela zona costeira, tentando alcançar zonas seguras, nomeadamente a cidade de Pemba, a capital da província de Cabo Delgado.

Valige Tuabo diz que, nesta altura, é impossível dar informação sobre o número de mortos provocados por um conflito que dura há mais de três anos.

Há ações militares em curso – sobretudo no norte e centro de Cabo Delgado – e, também por isso, não é possível adiantar um número de vítimas mortais. Quanto aos deslocados, no final de novembro já eram mais de 540 mil – “545 mil 816 pessoas até 28 de novembro”, especificou – os que o governo da província tinha identificado.

E é muito o que falta no apoio a esta população deslocada, garante ao Plataforma. O Governador de Cabo Delgado diz que muitos deles chegam à cidade de Pemba – onde já são poucas as condições para os receber – e por isso acabam por ser transferidos para zonas identificadas pelo governo provincial. Nessas zonas estão a ser construídas as infraestruturas necessárias, mas, enquanto isso não acontece, é preciso apoio.

Tendas, furos para a obtenção de água potável e sementes ou alfaias agrícolas estão entre as necessidades identificadas por Valige Tauabo.

Por isso é que o Governador de Cabo Delgado diz que a ajuda internacional é importante, nomeadamente o apoio que pode ser dado pelo Governo de Portugal que tem mantido contatos com o Presidente de Moçambique.

O apoio é bem-vindo porque a solução para este conflito não está à vista.

O Governador de Cabo Delgado acredita nas afirmações dos líderes religiosos de Moçambique e por isso afasta a possibilidade deste se tratar de um conflito religioso. Diz que os terroristas dificilmente dão a cara nem avançam exigências que permitam o início de um processo negocial com as autoridades moçambicanas. É por isso que não há diálogo com eles.

Apesar de não haver diálogo nem solução à vista para um conflito que se arrasta há mais de três anos, Valige Tauabo, acredita que a população de Cabo Delgado vai continuar a resistir até pelos inúmeros investimentos que estão a ser feitos naquela região do país.

Por isso, a principal preocupação do Governador de Cabo Delgado passa, neste momento, por tentar garantir a tranquilidade e a esperança a quem vive naquela província. Voltar a ter esperança, tranquilidade e estabilidade são desejos para o próximo ano.

Valige Tauabo, Governador de Cabo Delgado, uma província situada ao norte de Moçambique. Os ataques armados na região são reivindicados por grupos “jihadistas”, mas a sua autoria permanece em debate. Ainda assim, são ataques que já terão provocado pelo menos duas mil vítimas mortais e mais de meio milhão de deslocados.

Este artigo está disponível em: English 繁體中文

Artigos relacionados
MoçambiqueSociedade

Governo moçambicano cria visto de entrada no país para assistência humanitária

MoçambiquePolítica

Governo moçambicano quer construir 100 novas aldeias para deslocados de Cabo Delgado

MoçambiqueSociedade

Em Cabo Delgado já não se contam os mortos

MoçambiquePolítica

Portugal admite enviar militares para combater terroristas em Moçambique

Assine nossa Newsletter